Leia também:
X Após Congresso “facilitar” aval a vacinas, Anvisa pode ir ao STF

SP recua e torna aula presencial opcional em todo o estado

Medida que valia apenas para cidades na fase vermelha foi estendida a cidades na fase amarela

Pleno.News - 05/02/2021 21h21 | atualizado em 05/02/2021 21h23

SP tornou aulas presenciais opcionais em todo o estado Foto: Reprodução

O governo estadual paulista revogou a obrigatoriedade de presença dos estudantes nas escolas, públicas ou particulares do estado, durante a fase amarela do plano de flexibilização da quarentena. A informação foi divulgada ao Estadão pela Secretaria Estadual da Educação e deverá ser formalizada em publicação oficial nos próximos dias.

Uma resolução do Conselho Estadual de Educação do dia 13 de janeiro havia estabelecido a obrigatoriedade de o aluno frequentar pelo menos 1/3 das aulas na escola. Dias depois, o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, revogou essa obrigatoriedade nas fases vermelha e laranja, mas manteve nas demais etapas. Nesta sexta-feira (5), voltou atrás também sobre a obrigatoriedade na fase amarela.

Dessa forma, o retorno às escolas, públicas ou particulares, será opcional em todo o estado de São Paulo, incluindo a capital paulista. Nesta sexta-feira, a cidade de São Paulo avançou para a fase amarela do plano de flexibilização. As regiões de Campinas, Baixada Santista, Registro, Presidente Prudente e Araçatuba também foram reclassificadas para a fase amarela.

Nesta semana, os colégios privados da capital registraram alta adesão das famílias pelo ensino presencial. Uma parcela dos pais, porém, decidiu não mandar as crianças para a escola com medo de contaminação e por considerarem frágeis os protocolos de segurança adotados pelas escolas. Eles reconhecem a importância de manter escolas abertas para os que precisam, mas argumentam que os filhos se adaptaram bem ao ensino remoto e que a circulação de mais pessoas pela cidade aumenta o risco de transmissão do vírus.

Um grupo de WhatsApp com 54 mães e pais de alunos matriculados em colégios de elite, como Bandeirantes e São Luís, já se articulava para enviar um pedido ao secretário contra a volta às aulas obrigatória. O grupo dos pais que defende o retorno opcional à escola inclui profissionais da saúde na linha de frente e pessoas que fazem parte do grupo de risco.

O sindicato dos professores da rede estadual paulista anunciou também nesta sexta-feira que entrará em greve a partir de segunda (8), data marcada para a reabertura das escolas estaduais. A volta às aulas ocorre em meio à segunda onda da pandemia de Covid-19 no Brasil. Segundo a Apeoesp, a decisão teve apoio de 81,8% dos professores.

*Estadão

Leia também1 Professores de SP anunciam greve contra volta às aulas
2 Petrobras rebate Doria sobre o preço do diesel nas refinarias
3 Ministério da Saúde chama Doria de mentiroso e desafia tucano
4 Doria ameaça o governo por resposta sobre leitos e seringas
5 'Churrasco grátis a quem matar Doria' faz comerciante ser preso

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.