Leia também:
X STF: Eduardo Braga irá relatar indicação de Kassio Nunes

SP: Ministro do STF manda soltar chefão do PCC, André do Rap

Marco Aurélio Mello revoltou a cúpula da segurança pública paulista

Rafael Ramos - 09/10/2020 16h14 | atualizado em 09/10/2020 16h49

André do Rap controla o PCC em São Paulo Foto: PCSP

Preso em setembro do ano passado acusado de tráfico internacional pela Interpol, o chefão do Primeiro Comando da Capital (PCC), em São Paulo, será colocado em liberdade por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello. André de Oliveira Macedo, o André do Rap, foi detido em uma casa de luxo em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

A decisão de Marco Aurélio revoltou integrantes da cúpula da segurança pública paulista. Ele justificou que o acusado está preso sem uma sentença condenatória definitiva, excedendo assim o limite de tempo estabelecido pela legislação brasileira.

O caso foi considerado um desrespeito ao trabalho policial. Uma vez livre, André do Rap deverá informar um endereço residencial à Justiça onde poderá ser encontrado, caso seja necessário novo contato.

O promotor de São Paulo Lincoln Gakiya disse que a decisão do ministro vai fortalecer o PCC. Ele considerou “um verdadeiro absurdo colocar em liberdade um dos maiores traficantes internacionais do estado de São Paulo”.

No ano passado, Marco Aurélio também ordenou a liberdade de Moacir Levi Correia, o Bi da Baixada. Condenado a 29 anos, 3 meses e 16 dias, ele foi acusado por associação criminosa e duas tentativas de homicídio.

Leia também1 STF: Eduardo Braga irá relatar indicação de Kassio Nunes
2 Partido expulsa candidato que tem suástica na piscina de casa
3 Trump celebra "saúde perfeita" e diz que Regeneron "é a cura"
4 "O Evangelho não é uma prisão", diz a influencer Patrícia Ramos
5 Julgamento de Carol Solberg é remarcado para a próxima terça

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.