Leia também:
X Barroso “desaprova” ação das Forças Armadas perante o TSE

SP: Corpo de ambientalista que sumiu em represa é localizado

Adolfo Souza Duarte caiu de uma embarcação na Represa Billings no dia 1º de agosto

Pleno.News - 06/08/2022 16h36 | atualizado em 08/08/2022 11h29

Ambientalista Adolfo Souza Duarte Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

O corpo do ambientalista Adolfo Souza Duarte, de 41 anos, que desapareceu após cair de uma embarcação na Represa Billings no dia 1º de agosto, em São Paulo, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado (6). Ele estava próximo à 1ª balsa da represa, localizada na Avenida Dona Belmira Marin, no Grajaú, na Zona Sul da cidade.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que os familiares de Duarte, também conhecido como Ferrugem, reconheceram o corpo do ambientalista.

O caso foi registrado como morte suspeita pelo 101º Distrito Policial (DP). O Instituto de Criminalística (IC) e o Instituto Médico Legal (IML) vão realizar exames periciais.

Com 41 anos, Adolfo Duarte era presidente da ONG Meninos da Billings, focada na preservação da região da represa a partir do trabalho de educação ambiental do manancial.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a embarcação na qual Ferrugem estava sofreu um acidente na segunda à noite, às 20h14.

O ambientalista voltava de um passeio pela represa com dois casais que o contrataram para o serviço. Com o solavanco, os tripulantes da embarcação caíram e Duarte teria se afogado.

A corporação realizou buscas diárias no local até este sábado.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o delegado Marcos Gomes de Moura, do 101º DP, explicou que Ferrugem recebeu R$ 50 para fazer um passeio com dois casais.

– Teve uma festinha dentro do barco, as pessoas beberam cerveja e ele até deixou o pessoal pilotar. E, em um momento desses, ele estava dançando na parte de trás do barco e uma outra pessoa estava o guiando. Foi aí que teve um solavanco, ele e outra mulher caíram – afirmou.

O delegado relatou que, após a queda, Ferrugem conseguiu ajudar uma mulher a subir na embarcação, mas que depois disso acabou desaparecendo.

– Pode ter sido atingido pela hélice do barco ou mesmo afundado. Por isso, o laudo necroscópico será importante – explicou Moura.

*AE

Leia também1 Barroso "desaprova" ação das Forças Armadas perante o TSE
2 Cabo Daciolo irá disputar vaga no Senado pelo PDT no RJ
3 Biden testa negativo para Covid, mas seguirá isolado
4 Bolsonaro participa de primeira reunião no Metaverso
5 Isaquias Queiroz é campeão no Mundial de canoagem

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.