SP: Comoção marca enterro de vítimas de massacre em escola

"Deus está ao lado dos pais nesse momento", disse pastor durante cerimônia

Pleno.News - 14/03/2019 21h27

Nesta quinta-feira (14) aconteceu o enterro de cinco das dez vítimas do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. Após horas de velório coletivo, chegou o momento do sepultamento, no Cemitério Municipal São Sebastião.

Aplausos e um clima de comoção marcaram a cerimônia, que foi conduzida por um pastor. Samuel Melquiades de Oliveira Silva, que tinha 16 anos, foi o primeiro a ser enterrado.

– Foi para a glória de Deus que Samuel morreu. Eu queria nesse momento encontrar as palavras certas para confortar o coração de vocês. É contra as regras da natureza um pai enterrar um filho. Deus está ao lado dos pais nesse momento. Nós o veremos na glória, Samuel – disse o líder religioso.

O menino pertencia à Igreja Adventista do Sétimo Dia e gostava de desenhar. Integrantes do mesmo grupo do qual ele participava, o Desbravadores, compareceram e fizeram uma homenagem a ele, balançando lenços amarelos.

Os outros dois corpos enterrados foram dos estudantes Kaio Lucas da Costa Limeira e Caio Oliveira. Palmas também marcaram o instante final de despedida.

Amigos e familiares estavam presentes. Em meio à tristeza, todos procuravam encontrar forças para enfrentar a dor da perda.

Ao portal G1, Marcela Bianca Toqueiro, que era amiga de Kaio Lucas, afirmou que ele se destacava pelo bom humor. Já sobre Alyson Fiusa, amigo de Caio Oliveira, ela lembrou que, assim ela que se mudou para Suzano, o rapaz foi um dos seus primeiros amigos na escola.

A inspetora Eliana Regina de Oliveira Xavier, de 38 anos, também foi sepultada. Ela estava no colégio desde 2016. Ela teve a coragem de entrar na frente de estudantes que poderiam ser atingidos durante o ataque praticado pelos jovens Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos.

Por último, aconteceu a despedida de Cleiton Antônio Ribeiro, que tinha 17 anos. Os familiares dele esperaram para enterrá-lo somente após a chegada de um parente que mora em outro estado.

Momentos antes, durante o velório, o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, e o ministro da Educação, Ricardo Vélez, estiveram perto das famílias. Vélez passou diante de todos os caixões e abraçou os enlutados.

LEIA TAMBÉM+ Alunos homenageiam vítimas de Suzano cantando Jó
+ Polícia pede prisão de jovem que andava com atiradores
+ Após ataque em Suzano, aluno é esfaqueado em escola no Rio


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo