Leia também:
X Carla Zambelli critica STF por pauta sobre aborto

Solidariedade: pão para quem tem fome na pandemia

#ComidaParaQuemPrecisa atende moradores da cidade de São Paulo que sofrem riscos nesta pandemia

Virgínia Martin - 15/04/2020 17h09 | atualizado em 15/04/2020 17h12

Para continuar, o #ComidaParaQuemPrecisa necessita de doações

Desde o sinal de alerta sobre os efeitos do novo coronavírus e a necessidade de isolamento social para evitar o contágio, a população de rua e das comunidades vem sofrendo riscos. Além da ameaça da contaminação, há a ameaça da fome e da desnutrição. Atualmente, a cidade de São Paulo possui aproximadamente 25 mil pessoas vivendo nas ruas e que precisam se alimentar e se proteger. Diante deste cenário, um grupo de amigos se uniu para ajudar as pessoas que mais precisam de apoio nesse momento tão difícil da pandemia: a população de rua.

Entre o grupo estava o chef Marcus Lima, que doou alimentos, Érika Godoy, e alguns pastores da Igreja Maranata Maanaim, que cederam sua cozinha industrial. Assim surgiu o #ComidaParaQuemPrecisa. A iniciativa ganhou forma e há 30 dias, uma equipe já oferece refeições diretamente para pessoas carentes, e ainda para entidades e igrejas que auxiliam na distribuição.

O projeto entrega em torno de 8 mil refeições por semana para população em situação de rua, comunidades e ONGs na cidade de São Paulo. Espera contribuir para reduzir a fome e desnutrição entre a população de rua e depende de doações para isso.

De acordo com o IBGE, 4,3% da população brasileira está envolvida em alguma forma de trabalho voluntário. Ainda é uma porcentagem pequena, mas crescente. O #ComidaParaQuemPrecisa já conta com mais de 100 voluntários. A coordenação é de Érika Godoy, designer de joias de família. A cozinha fica por conta do dentista e chef Marcus Lima, que aproveita todo e qualquer alimento doado e cria pratos nutritivos e saborosos.

– “Se não pensarmos em quem mais precisa agora, eles serão vítimas não só do coronavírus, mas também da fome”, avalia Érika.
O chef Marcus Lima aproveita todo alimento doado e cria pratos nutritivos e saborosos

Além da situação de indignidade pela falta de moradia, no caso da população de rua, a pandemia do COVID-19 impôs uma realidade ainda mais dura a essas pessoas. Com todo o comércio fechado e as ruas desertas, não podem contar com transeuntes e/ou bares e restaurantes para receber alimentos e até mesmo usar pias e banheiros. A partir desta demanda, o projeto #ComidaPraQuemPrecisa foi gestado, mas acabou ampliando seu alcance para beneficiar também comunidades e instituições sociais.

#ComidaPraQuemPrecisa está funcionando nas instalações da Igreja Maranata Maanaim, que conta com uma grande cozinha industrial e fica próxima ao centro da cidade e regiões com grande concentração de moradores de rua. Os alimentos são preparados de quinta à domingo e distribuídos no horário do almoço, fazendo um total de 1.800 a 3.000 refeições por dia.

Enquanto 20 voluntários permanecem na cozinha, seguindo todas as recomendações de segurança em relação à prevenção do COVID-19, outro grupo sai pela cidade para distribuir os alimentos, e uma terceira equipe cuida de receber as doações. Para continuar o projeto, porém, há necessidade de doações de alimentos, de descartáveis, e de novos voluntários. Interessados em ajudar podem enviar mensagens para (11) 97529-6910 ou 97580-9897 (WhatsApp).

Leia também1 Ator de GOT trabalha como voluntário contra Covid-19
2 Cia Nissi promove ação social e espetáculo de Páscoa
3 "O coronavírus não vai nos vencer", diz rainha Elizabeth II

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.