Leia também:
X STF pede manifestação da PGR sobre impeachment de Guedes

Servidora é denunciada por uso de atestados falsos para não trabalhar

Caso aconteceu em Goiás

Ana Luiza Menezes - 02/07/2021 18h09 | atualizado em 02/07/2021 18h10

MP denunciou servidora por atestados médicos falsos Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou uma servidora da Companhia Saneamento de Goiás S/A (Saneago), que é suspeita de ter usado atestados médicos falsos para não trabalhar, em Ceres, no centro do estado.

Segundo o comunicado, emitido nesta quinta-feira (1º), a denúncia da 2ª Promotoria de Justiça de Ceres apontou que a funcionária apresentou os atestados nos anos de 2018 e 2019.

– A denunciada usou documentos particulares falsos (atestados médicos), que foram apresentados à empresa, alegando necessidade de se afastar do serviço, em razão de doença, por diversos períodos – informou um trecho do texto.

Marcos Alberto Rios, promotor titular da 2ª Promotoria e autor da denúncia, disse que o caso foi apresentado ao MP-GO pela própria Gerência Regional da Saneago. A servidora entregou um total de sete atestados médicos falsos, tanto da rede pública de saúde, quanto da rede particular, que teriam sido supostamente assinados por três médicos que atendem na cidade.

O promotor disse que foi solicitada a comprovação da veracidade dos documentos aos médicos e também à Coordenação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceres, mas todos confirmaram que não havia registro de atendimento da denunciada e que os documentos são falsos.

Leia também1 Prefeito de São Paulo promete Réveillon e Carnaval para 2022
2 Lázaro cometeu estupro em abril de 2021, confirma laudo
3 No Brasil, 26 mil doses de vacina vencida foram aplicadas
4 Criança que caiu de gorila no Beto Carrero tem alta hospitalar
5 Mãe é detida após jogar recém-nascida de janela de ônibus

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.