Leia também:
X USP decide expulsar seis alunos acusados de fraudar cotas

Sem vacinas, Rio suspende 1ª dose e cobra Ministério da Saúde

Prefeito Eduardo Paes disse que pasta não repassou vacinas que já estão disponíveis

Pleno.News - 23/07/2021 20h31

Rio de Janeiro suspende primeira dose da vacina Foto: EFE/Gustavo Amador

Um dia depois de o prefeito Eduardo Paes (PSD) garantir que haverá réveillon e carnaval no Rio de Janeiro em 2022, prevendo que até lá todos os moradores da cidade estarão vacinados contra a Covid-19, na tarde desta sexta-feira (23) a Prefeitura do Rio anunciou a suspensão da aplicação da primeira dose no município, por falta de vacinas.

– Por já ter aplicado todas as vacinas destinadas à primeira dose (D1) contra a Covid-19 e para garantir estoque para as segundas doses (D2) programadas, o município do Rio de Janeiro suspenderá momentaneamente seu calendário de vacinação de D1 a partir de hoje (23). A vacinação será retomada assim que o Ministério da Saúde enviar nova remessa de vacinas – informou a prefeitura, em nota.

Neste sábado (24) estava prevista a repescagem para homens e mulheres de 35 anos ou mais que houvessem deixado de tomar a primeira dose da vacina no dia correto. A segunda dose continua a ser aplicada a todos, na data registrada no cartão de vacinação.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, comentou a situação, pelas redes sociais.

– Infelizmente as 7,5 milhões de doses recebidas pelo Ministério da Saúde nesta semana ainda não têm previsão para distribuição; com o atraso nesta entrega teremos que suspender a aplicação de primeira dose da vacina contra Covid-19. A medida visa garantir o estoque para as pessoas que já estão agendadas para a realização da segunda dose da vacina – afirmou.

O prefeito Eduardo Paes também reclamou, por meio de seu perfil no Twitter.

– Essa semana o Ministério da Saúde recebeu cerca de 7,5 mi de doses de vacina e até o presente momento não temos notícia de quando receberemos. Divulgamos nosso calendário de acordo com as chegadas informadas pelo ministério. Se não cumprirem, corremos o risco de atrasar. Não é possível que isso fique parado um minuto que seja. O motivo é simples: quanto mais tempo demora maior o risco de óbito. Não há nada mais importante a fazer nesse momento! – disse o prefeito.

FIOCRUZ ENTREGA VACINAS
Nesta mesma sexta-feira, a Fundação Oswaldo Cruz informou ter entregue 3,8 milhões de doses da vacina da AstraZeneca ao Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde.

– O insumo será liberado em duas remessas, sendo 197 mil doses direto para o Estado do Rio de Janeiro e o restante indo para o almoxarifado do Ministério da Saúde – diz nota da Fiocruz.

Com a entrega, a Fiocruz atinge a marca de 78,2 milhões de doses da vacinas disponibilizadas ao Ministério da Saúde, sendo 74,2 milhões processadas no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) e 4 milhões de doses importadas prontas do Instituto Serum, da Índia.

*AE

Leia também1 Queiroga anuncia rompimento com Precisa Medicamentos
2 Bolsonaro: CoronaVac não tem comprovação científica
3 Bharat Biotech encerra acordo com a Precisa Medicamentos
4 Queiroga diz que Covaxin está descartada neste momento
5 Estudo: 2 doses de AstraZeneca têm proteção de 93,6% contra mortes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.