Leia também:
X Nikolas expõe ‘mentira’ de Doria sobre eficácia da CoronaVac

Secretário acusa São Paulo de incentivar incêndio em estátua

André Porciuncula criticou a Secretaria de Cultura paulista por elaborar uma lista de "monumentos controversos"

Henrique Gimenes - 25/08/2021 15h21 | atualizado em 25/08/2021 16h58

Estátua de Pedro Álvares Cabral, no Rio de Janeiro Foto: Reprodução/Google Maps

Nesta quarta-feira (25), o secretário nacional de Fomento e Incentivo da Secretaria Especial da Cultura, André Porciuncula, acusou a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo de “instruir” grupos a incendiarem uma estátua de Pedro Álvares Cabral, no Rio de Janeiro. Ele criticou a gestão da capital paulista por elaborar uma lista de “monumentos controversos” e publicá-la no jornal Folha de S.Paulo.

No total, a lista da prefeitura de São Paulo conta com 40 monumentos “considerados controversos por homenagearem pessoas ligadas a momentos sensíveis do passado brasileiro”.

A estátua de Pedro Álvares Cabral foi incendiada na madrugada desta quarta-feira por um grupo que protestava contra a análise, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do Marco Temporal. A medida irá definir o futuro da demarcação de terras indígenas no país. Além disso, o monumento foi pichado.

Ao falar do episódio, Porciuncula afirmou que, na lista elaborada pela prefeitura de São Paulo, constava o nome de Pedro Álvares Cabral.

– Apesar de ter sido no Rio de Janeiro, esse comando partiu da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo, que divulgou uma lista, um dia antes, dos monumentos alvos (que eles chamam de “controversos”), numa matéria nacional da Folha, onde continha Pedro Álvares Cabral – apontou.

O secretário defendeu ainda uma punição para os responsáveis por elaborar a lista.

– Os responsáveis pela produção da lista infame precisam ser legalmente responsabilizados por esses atos de vandalismo. Eles claramente incitaram a ação dos marginais no país inteiro. Eu avisei, ontem mesmo, que isto iria acontecer com a divulgação da lista. O Ministério Público precisa responsabilizar os agentes públicos que contribuíram – apontou.

Leia também1 RJ: Coletivo indígena incendeia estátua de Pedro Álvares Cabral
2 Ao lado de Bolsonaro, chefe do Exército garante a 'lei e a ordem'
3 Gilmar diz que Mendonça paga o preço por 'tumulto' de Bolsonaro
4 STJ suspende processo contra Flávio por suposta rachadinha
5 Zé Dirceu convoca esquerdistas para impedir 'violência' do dia 7 de Setembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.