CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X SP: Prefeitos ignoram Doria e reabrem comércio no interior

Secretária de Saúde do Rio se tratou com cloroquina

Beatriz Busch chegou a ficar na UTI

Gabriela Doria - 06/04/2020 22h01

Beatriz Busch, secretária de Saúde do Rio de Janeiro Foto: Reprodução

A secretária municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Beatriz Busch, foi mais uma das pessoas que usou a hidroxicloroquina para se tratar da Covid-19. Beatriz estava internada no Hospital Barra D’Or desde a última segunda-feira (30) e recebeu alta neste domingo (5).

Em entrevista ao jornal O Globo, a secretária contou sobre sua internação que, segundo ela, “foi bem pesada”.

– A internação para quem nunca ficou em hospital em situações que não fossem felizes (partos das minhas filhas) foi bem pesada. Isolamento total do mundo exterior. Só médicos e profissionais de saúde entravam rapidamente no quarto. Eles tinham muito medo também. Medo de se contaminar, medo por não ter boas notícias para dar. Foram muito humanos principalmente nos três primeiros dias durante os quais meus resultados de exames pioravam. Usaram em mim todos os recursos que havia lido em artigos recentes, inclusive a Hidroxicloroquina – disse.

Ainda segundo ela, o quadro apresentava piora dia após dia. No entanto, após o quarto ou quinto dia, ela já começava a sentir os resultados do tratamento.

– No quarto ou quinto dia de internação quando tudo estava muito ruim mesmo, com febre e dormindo sentada para respirar, eu simplesmente melhorei. Eu mesma dei a notícia ao médico pela manhã. Eu estava melhor, algo havia mudado. Daí em diante os resultados de marcadores inflamatórios foram melhorando e em dois dias eu fui transferida para uma outra área de isolamento respiratório fora do CTI e ontem [domingo] voltei para casa – contou.

Atualmente, Beatriz segue em isolamento dentro da própria casa, onde mora com o marido e com as filhas.

– Estou isolada das minhas filhas e marido no meu quarto e todo mundo aqui usando máscaras e lavando as mãos o tempo todo. Precisarei ficar ainda 14 dias em casa por causa da pneumonia mas já posso trabalhar daqui.Recebi centenas de mensagens de apoio e tentei responder a todas ontem quando cheguei em casa – afirmou.

Apesar do susto, a secretária, que também é médica, se diz otimista com a “força do SUS” no Brasil.

– Como médica, eu tenho a certeza de que esse vírus que devastou o mundo não conheceu a força do SUS e que vamos passar por isso fortalecidos. Nesse momento o importante é a união de todos nessa batalha com a população fazendo a sua parte e ficando em casa até isso tudo passar – recomendou.

Leia também1 SP: Prefeitos ignoram Doria e reabrem comércio no interior
2 Mandetta diz que fica: "Nosso maior inimigo é a Covid-19"
3 Banco Mundial cita Brasil como exemplo contra Covid-19

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo