Leia também:
X Braga Netto corta compras de bebidas alcoólicas pelas Forças Armadas

São Paulo anuncia retomada na vacinação de grávidas

Imunização de puérperas também será retomada

Pleno.News - 12/05/2021 13h42 | atualizado em 12/05/2021 14h33

Divulgação foi feita após a entrega de mais um lote da vacina do Instituto Butantan Foto: Pixabay

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (12) que o estado irá remanejar as vacinas e retomar, na próxima segunda-feira (17), a vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades, acima dos 18 anos, em qualquer idade gestacional. A expectativa é atender cerca de 100 mil pessoas no grupo.

Na terça-feira (11), o Ministério da Saúde suspendeu o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca no grupo após o registro da morte de uma grávida do Rio de Janeiro que havia sido vacinada com o imunizante.

A coordenadora de Controle de doenças da Secretaria do Estado de São Paulo, Regiane de Paula, disse que o remanejamento de doses da Coronavac e a retomada da vacinação às grávidas e puérperas com comorbidades foi possível pela entrega ao Ministério da Saúde, nesta manhã, de mais um lote da vacina produzida em parceria pelo Instituto Butantan e a Sinovac.

O imunizante não apresentou efeitos adversos graves no grupo de grávidas e puérperas. Sendo assim, conforme ressaltou Regiane, a imunização do grupo deve seguir com a aplicação da Coronavac, do Instituto Butantan, e com doses da vacina da Pfizer, adquiridas pela Prefeitura da capital.

Na manhã desta quarta-feira, Regiane de Paula havia anunciado que o estado iria manter a suspensão da vacinação de gestantes com comorbidades até que o Ministério da Saúde, por meio de uma nota técnica, detalhasse como estados e municípios deveriam proceder com a situação.

O governador de São Paulo também anunciou a vacinação das pessoas de 45 a 49 com deficiência permanente ou com comorbidades listadas no Plano Nacional de Imunização a partir do próximo dia 21. A vacinação deve atender cerca de 695 mil pessoas.

Nesta quarta, teve início a vacinação das pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos. O grupo é estimado em 900 mil pessoas.

*Estadão

Leia também1 Alta transmissão da Covid-19 nas Américas preocupa Opas
2 Dra. Nise será chamada a depor na CPI da Covid, diz Omar Aziz
3 Aziz pode chamar Wajngarten como investigado na CPI
4 Agência europeia inicia visitas às fábricas da Sputnik V na Rússia
5 BH: Menina de 7 anos pula de janela para fugir de incêndio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.