Leia também:
X Justiça do RJ nega suspender uso de tornozeleira por Flordelis

Repórter é agredida e chamada de ‘macaca’ por servidor público

Agressor ainda chutou cinegrafista e o chamou "gordo"

Gabriela Doria - 25/09/2020 15h29 | atualizado em 25/09/2020 16h51

Julie Alves foi agredida e chamada de “macaca” por funcionário da Prefeitura de Japeri Foto: Reprodução

A repórter Julie Alves, do programa Fala Baixada, do canal CNT Rio, foi vítima de agressão e racismo durante uma reportagem em Japeri, na Baixada Fluminense. Julie e o cinegrafista Vângelis Ferreira mostravam a situação de um lixão que fica ao lado de um posto de saúde, quando abordaram um responsável pela unidade pedindo explicações. O homem, que é negro e se identificou como funcionário, tentou impedir a matéria e xingou Julie de “macaca” e o cinegrafista de “gordo”.

A repórter contou ao jornal O Globo que, além das ofensas, o servidor ainda deu um forte tapa em sua mão, que fez o microfone cair no chão. Enquanto recolhia os equipamentos, o agressor ainda se aproximou de Vângelis e lhe deu um chute. Terceiros tiveram que conter o funcionário, que se chama Clodoaldo Silva de Souza e é conhecido como Dudu. Ele é diretor da Unidade Médica de Engenheiro Pedreira (Umep), distrito do município de Japeri.

– Estávamos filmando o lixão e perguntei se alguém do posto poderia falar sobre o assunto. Esse cara consentiu e, quando entramos no pátio, já gravando, ele começou a gritar, disse “grava não, c… Vai para casa do c…, não pode gravar aqui ” e fui narrando o que acontecia. Eu disse que gravaríamos sim, e ele falou: “Não vão gravar nada, sua macaca”. O cinegrafista foi me defender, e ele disse: “Cala a boca, seu gordo”. Foi então que ele partiu para cima de mim. Deu um tapa na minha mão. Pensei que ele fosse dar na minha cara, e o microfone caiu. Eu me abaixei para pegá-lo e ele avançou no cinegrafista — relatou ao O Globo.

Ao entrar no posto de saúde, a equipe de reportagem descobriu que a secretária municipal de saúde, Rose Moraes dos Anjos, estava no local. Eles relataram as agressões a gestora demonstrou surpresa com a denúncia contra seu funcionário.

Antes de irem embora, Julie e Vângelis tiveram um mal estar por causa da situação e pediram para serem consultados. Foi constatado que ela estava com pressão alta, com 14 por 8. Já a pressão do cinegrafista, que é hipertenso e diabético, chegou a 18 por 8 e sua taxa de glicemia era de quase 400mg/L, quando o normal é de 100mg/L.

Mesmo com a presença da secretária, Clodoaldo não se intimidou e aproveitou que os jornalistas estavam em observação para ficar no mesmo ambiente que eles, alegando que também estava passando mal. Nesse momento, ele fez novas ameaças aos profissionais.

A situação só teve fim após a chegada do diretor do programa, Mauro Vasconcelos, ao local. De lá, eles foram prestar queixa na delegacia. O servidor da prefeitura foi denunciado por lesão corporal, injúria por preconceito e ameaça contra Julie e Vângelis.

PREFEITURA EXONERA SERVIDOR E PEDE DESCULPAS
Em nota, a Prefeitura de Japeri e a Secretária municipal de Saúde, Rose Moraes, afirmaram que “não compactuam com o episódio ocorrido”. Os gestores pediram desculpas e informaram que Clodoaldo Silva de Souza foi exonerado e “deve responder pelos seus atos se assim for determinado”.

Leia também1 Sikêra dispara contra esquerda: "Querem desordem e regresso"
2 Candidato a vereador é morto a tiros por irmão de prefeito
3 "Não suporto corrupção", diz novo secretário de Saúde do Rio
4 Liesa cancela desfiles do grupo especial para o Carnaval de 2021
5 MPT barra denúncias por 'trainee para negros' da Magazine Luiza

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.