Record vai ao trending topics ao falar sobre pedofilia e arte

Programa Domingo Espetacular exibiu falas de especialistas sobre expor crianças a nudez

Pleno.News - 16/10/2017 11h37

Domingo Espetacular abordou o perigo das manifestações artísticas Foto: Reprodução/ Record TV

Após a Rede Globo apresentar uma reportagem sobre ideologia de gênero em que também mostrou visão favorável às manifestações artísticas Queermuseu e La Bête – e ser criticada nas redes sociais por isto – a Record TV abordou o outro lado do assunto nesse domingo (15).

Em especial exibido no programa Domingo Espetacular, psicólogos, psicopedagogos, um juiz e até um crítico de arte falaram sobre os perigos de abrir exposições com conteúdo adulto para crianças. Em especial, falaram sobre a performance La Bête, ocorrida no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

O escritor Leandro Narloch defendeu que “os pais deveriam ter algum poder de decisão” na ida das crianças ao museu, mesmo acompanhadas dos professores e responsáveis da escola.

A psicopedagoga Irene Maluf reiterou que expô-los a essa situação é perigoso pois “a manipulação do nu é uma questão erotizante e está se chamando uma criança de 7 ou 8 anos para algo que ela não precisaria vivenciar”.

– Isso abre as portas para a pedofilia porque a criança se sente autorizada. A lógica para a criança seria: se não há problema em tocar no estranho sem roupa, então não há problema em o estranho tocar em mim. Quando falamos sobre valores, parece que os esquecemos no momento em que estamos numa galeria de arte – afirmou.

Ministério Público de São Paulo pediu que Google e Facebook removam imagens em que criança toca homem nu Foto: Divulgação

A questão, segundo o desembargador Antônio Carlos Malheiros, também fere o que recomenda o Estatuto da Criança e do Adolescente, já que não protege os menores de situações de constrangimento.

– Mas pior do que a criança estar em um ambiente inadequado, para mim, foi a divulgação do vídeo em que a menina aparece manipulando o corpo do artista. Aí se caracterizou uma situação de constrangimento – declarou o magistrado.

O presidente da Comissão dos Direitos Infantojuvenis da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ricardo Cabezón, disse que “a participação de menores tem que ser vista com ressalvas”. Ele defendeu também que os organizadores deveriam falar aos pais que a manifestação artística é inadequada para a idade deles.

– O Artigo 75 do Estatuto da Criança e do Adolescente diz que crianças devem ter acesso livre a exposições artísticas adequadas à faixa etária – concluiu.

O crítico de arte Oscar D’Ambrosio também defendeu restringir a entrada de crianças a exposições impróprias para menores e que “critérios devem ser seguidos por todos: por quem promove, quem organiza e quem visita”.

Após a exibição do programa, a hashtag #ParabensRecord chegou ao topo dos Trending Topics no Brasil na noite do domingo, ou seja, foi elencado como o assunto mais comentado na rede social. A reportagem pode ser vista na íntegra abaixo.

LEIA TAMBÉM
+ Ministro da Cultura diz que La Bête fere Estatuto da Criança
+ Mostra Queermuseu no MAR é vetada pela Prefeitura do Rio
+ Dove pede desculpas por campanha considerada racista