Leia também:
X Governo Bolsonaro completa 6 meses. Veja o que já foi feito

Flordelis relembra o dia da morte de Anderson do Carmo

Deputada foi entrevistada pelo Câmera Record deste domingo

Gabriela Doria - 30/06/2019 10h25 | atualizado em 30/06/2019 14h06

Flordelis concedeu entrevista à Record TV Foto: Reprodução

A deputada federal Flordelis dos Santos Souza(PSD-RJ) relembrou com detalhes a noite em que seu marido, o pastor Anderson do Carmo, foi assassinado. A entrevista com a parlamentar vai ao ar neste domingo na Record TV.

– Foram 4 tiros. Não foi assim: deu os quatro e parou e depois deu mais dois. Teve um último tiro… Naquele instante ali, eu já sabia que alguma coisa tinha acontecido com o meu marido. Por quê? Porque o meu marido era muito preocupado com a minha segurança. A primeira pessoa que ele procuraria pra tranquilizar seria eu… Doutora, eu agora posso ver o meu marido? Quero ver o meu marido. Aí, foi a hora que ela falou assim ‘Seu marido foi a óbito’. Eu falei pra ela: ‘Ele vai ouvir a minha voz, ele vai acordar – relatou a deputada em um trecho da entrevista.

A conversa entre o jornalista Domingos Meirelles e Flordelis será exibida em dois programas noturnos do canal. No Domingo Espetacular, que começa às 19h45, será veiculada uma parte da entrevista. Já na atração seguinte, o Câmera Record, a conversa com Flordelis será exibida na íntegra. Este programa começa às 23h15.

Além da entrevista, o Câmera Record promete trazer novos detalhes sobre o caso.

O CASO
O pastor Anderson do Carmo foi assassinado na madrugada de domingo (16) na garagem de casa, em Pendotiba, Niterói, no Rio de Janeiro. O laudo mostrou 30 perfurações pelo corpo, a maior parte nas costas, peito e região da virilha. Anderson era casado há 25 anos com Flordelis, pastora e deputada federal pelo Rio de Janeiro. Sempre ao lado da esposa, ele atuava como secretário-geral do PSD no Estado.

Dois filhos da pastora estão presos preventivamente, Lucas dos Santos, de 18 anos, e Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos. O mais velho assumiu ter efetuado seis tiros. Lucas teria ajudado comprando a arma, mas não estaria em casa no momento dos disparos. Os agentes ainda estão investigando os pontos contraditórios.

Um terceiro filho teria afirmado, em depoimento, que não ouviu discussão, barulho de carro ou moto em fuga. Que quando chegou na cena do crime encontrou o irmão Flávio próximo ao pai, caído. Ele garantiu ainda que o celular de Anderson, que está sumido, foi entregue a Flordelis.

Ainda em depoimento, o filho disse que o pastor já recebeu uma mensagem com ameaça de morte e uma das irmãs ofereceu R$ 10 mil a Lucas para que cometesse o crime. Flordelis e três filhas já teriam colocado remédios na comida de Anderson, por isso, sua saúde estava debilitada.

Leia também1 Flordelis: "Eu não ganhei nada com a morte dele. Só perdi"
2 "É hora de deixar a polícia trabalhar", afirma Flordelis
3 Outro filho de Flordelis deixa igreja fundada pelos pais

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.