Leia também:
X Juíza que negou aborto à menina estuprada deixa o caso

Procurado pela Interpol, Escobar Brasileiro é preso na Hungria

Major Carvalho é acusado de comandar organização criminosa que atua no envio de cocaína para Europa

Thamirys Andrade - 21/06/2022 16h08 | atualizado em 21/06/2022 16h45

Major Carvalho era conhecido como Escobar Brasileiro em referência ao narcotraficante colombiano Pablo Escobar

Foi preso nesta terça-feira (21) um dos maiores narcotraficantes do mundo: Sérgio Roberto de Carvalho, o Major Carvalho, também conhecido como Escobar Brasileiro. O homem de 63 anos era procurado pela Polícia Internacional (Interpol) em três continentes, e foi detido em Budapeste, na capital da Hungria.

Segundo a Polícia Judiciária de Portugal, que participou da prisão, Major Carvalho utilizava um passaporte mexicano falsificado no momento da prisão.

O narcotraficante é acusado de comandar uma organização criminosa que atuou no envio de 45 toneladas de cocaína para diversos países da Europa por meio de portos brasileiros no Paraná, São Paulo, além de cidades no Sul e no Nordeste brasileiro. Além de tráfico, Major Carvalho também atuava com lavagem de dinheiro.

Ex-major da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Carvalho já vinha fugindo por anos da polícia e chegou a ponto de forjar a própria morte. Ele foi apelidado de Escobar Brasileiro em referência ao traficante e narcoterrorista colombiano Pablo Escobar, que fundou o Cartel de Medellín.

FUGA E MORTE FALSA
Para escapar das autoridades, o Escobar Brasileiro se escondia atrás de identidades falsas. Ele chegou a ser preso na Espanha em 2018, sob o falso nome de Paul Wouter, acusado de possuir 1.700 quilos de cocaína. Entretanto, ele foi solto após pagar fiança de 200 mil euros (R$ 1 milhão). A polícia espanhola não sabia que se tratava do narcotraficante procurado pela Interpol.

Dois anos depois, o ex-major também chegou a forjar sua morte para livrar-se das autoridades. O responsável por assinar o atestado de óbito foi o esteticista Pedro Martin Matos, que hoje é investigado pela polícia. Segundo o ofício, Carvalho teria morrido em agosto de 2020, e seu corpo teria sido cremado.

POLÍCIA FEDERAL
Em nota, a Polícia Federal confirmou a prisão do Escobar Brasileiro e disse que a corporação está adotando “as providências formais decorrentes da captura após as diligências policiais que culminaram nessa importante prisão”.

Ainda não há confirmação se Major Carvalho permanecerá detido em terras europeias, ou se será extraditado de volta ao Brasil.

Leia também1 Caso Genivaldo: PF pede mais 30 dias para concluir o inquérito
2 Preso durante enterro da filha, pai confessa ter matado a bebê
3 Dom e Bruno: Preso se contradiz sobre autoria dos assassinatos
4 Criança gruda olho com Super Bonder e precisa de cirurgia
5 Ex-miss morre aos 27 anos no RJ por complicações em cirurgia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.