Leia também:
X Senadores criticam CPI: ‘Ideia é criar narrativa contra o governo’

Polícia prende suspeito da morte de cirurgião na Barra da Tijuca

Carro usado no crime também foi encontrado

Gabriela Doria - 19/10/2021 16h37 | atualizado em 19/10/2021 16h59

Polícia também apreendeu carro usado no crime Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio de Janeiro

A Polícia Civil e a Militar encontraram o carro que teria sido usado pelos criminosos que roubaram e mataram o cirurgião plástico Claudio Marsili, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira (19). O carro modelo Renault Sandero preto foi localizado no alto do Morro do Turano, na Tijuca, na Zona Norte da cidade. Ele foi apreendido e passará por perícia.

Um dos suspeitos de ter praticado o crime também foi preso. Ele estava com a chave de um carro que a polícia acredita ser o Toyota Hilux que pertencia ao médico. O filho do cirurgião, o psiquiatra Italo Marsili, reconheceu a chave.

A polícia afirmou que a placa do Sandero é clonada. O automóvel foi roubado na região da Penha, também na Zona Norte do Rio.

LATROCÍNIO
Claudio Marsili foi baleado após estacionar sua picape Hilux cinza junto à clínica da qual era sócio, na Barra da Tijuca, pouco antes das 7h da manhã. O carro foi levado pelos criminosos, e o médico ficou caído no chão.

O filho de Claudio, Italo Marsili, chegou ao local acompanhado de um amigo cardiologista, Rodrigo Reis, e do padre Matheus Muniz de Aquino. Inconsolável, Italo chorou ao lado do pai até o corpo ser removido, por volta das 10h.

Leia também1 Pai do psiquiatra Italo Marsili é morto a tiros no Rio de Janeiro
2 Italo Marsili se pronuncia pela primeira vez sobre morte do pai
3 Bia Kicis presta solidariedade à família de Claudio Marsili
4 Menina de 11 anos desaparecida é achada com homem de 25
5 Milagre! Menino de 4 anos cai de penhasco e sobrevive quase ileso

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.