Leia também:
X Exposição da Bíblia é inaugurada no Rio de Janeiro

Polícia irá ouvir blogueira que falou em ‘esfaquear’ Eduardo Bolsonaro

Caso está sendo investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática do Rio de Janeiro

Pleno.News - 03/12/2021 21h40 | atualizado em 03/12/2021 21h48

Deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Câmara dos Deputados/Cleia Viana

A Polícia Civil do Rio de Janeiro irá ouvir a empresária Maria Cristina Fontes de Mattos, a Tininha Mattos. A medida tem por base vídeos publicados por ela com conteúdo ofensivo. Em um deles, Tininha chegou a dizer que havia perdido a oportunidade de esfaquear o presidente Jair Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

A medida tem por base uma ação apresentada por Eduardo, que apontou uma prática de crime de ameaça e de crime contra a segurança nacional. O deputado afirmou que os vídeos da empresária poderiam influenciar outras pessoas a cometerem crimes e que, por ele ser uma pessoa pública, está “mais suscetível às diversas formas de violência, especialmente atentados dessa espécie”.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro. Já Tininha Mattos deverá prestar o depoimento na próxima sexta-feira (10).

As gravações foram feitas pela empresária em março deste ano. Em um vídeo, Tininha Mattos, contou uma história de como se atrasou para o trabalho e “perdeu” a chance de encontrar toda a família Bolsonaro. No vídeo, ela afirmou que iria dar uma facada em Eduardo.

– Vocês estão vendo isso aqui? Isso são lágrimas. Toda a maldição para pobre é pouco. Eu cheguei atrasada ao trabalho e descobri que o Bolsonaro estava aqui, com todos os filhos, e eu perdi a oportunidade de fazer o escândalo do século. Justamente hoje, hoje que eu estou muito atacada, eu estou perfeita para fazer escândalo, eu perdi a oportunidade da minha vida. E eu ia fazer escândalo, e eu ia filmar, e eu ia dar outra facada no Bolsonaro, com faca de pão que eu ia roubar da copa daqui, [facada] provavelmente no Eduardo Bolsonaro, que é quem eu mais odeio, mas eu perdi essa oportunidade – disse na gravação.

Na época, Eduardo Bolsonaro entrou com uma ação contra a empresária no esfera cível pedindo o pagamento de uma indenização no valor de R$ 40 mil. No entanto, a Justiça negou o pedido do deputado em agosto. A defesa de Eduardo chegou a recorrer, mas teve a solicitação negada novamente.

Leia também1 STF: Moraes manda investigar Bolsonaro por 'vacina e HIV'
2 Partido de Bolsonaro convida Maurício a disputar eleições
3 Após dois mandatos, Lula diz que quer consertar o país
4 Malafaia: "Não adianta chorar! Temos um pastor no STF"
5 Jair Bolsonaro reafirma que não tomará vacina: 'Deixa eu morrer'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.