Leia também:
X Michelle volta às origens para ajudar pessoas carentes

Polícia investiga gravação de clipe com uso de fuzis e drogas

Inquérito foi instaurado para apurar possível corrupção de menores e uso de entorpecentes na presença de crianças

Paulo Moura - 22/07/2020 09h53 | atualizado em 22/07/2020 10h00

Polícia investiga gravação de clipe com fuzis no RJ Foto: Reprodução

Imagens da gravação de um videoclipe de funk com um grupo de homens armados em cima de uma caminhonete na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio de Janeiro, motivaram a abertura de um inquérito pela Polícia Civil após o fato chamar a atenção das redes sociais. A investigação foi instaurada para apurar uma suspeita de corrupção de menores e também de uso de drogas na presença de crianças.

View this post on Instagram

A gravação de um videoclipe com homens armados em cima de uma caminhonete na comunidade do Jacarezinho, Zona Norte do Rio de Janeiro, motivou a abertura de um inquérito pela Polícia Civil. A investigação foi instaurada para apurar uma suspeita de corrupção de menores e também de uso de drogas na presença de crianças. Saiba mais em nosso site (link na bio @plenonews) e nos Stories. #Jacarezinho #RJ #videoclipe #PlenoNews

A post shared by Pleno.News (@plenonews) on

Na imagem, que foi divulgada nas redes, é possível ver pessoas em volta dos carros, que inclui a presença de crianças, exaltando a chamada “Tropa do Jacaré”, enquanto os homens passam com o forte armamento para o alto. Em nota, a PM fluminense informou que tomou conhecimento dos fatos e afirmou que não existia “nada em desfavor dos veículos utilizados” no que foi classificado como a gravação de um videoclipe.

– Vem circulando em diversas redes sociais um vídeo com homens, em tese, portando armamentos de emprego coletivo, trafegando pela Av Guanabara, também conhecida como “Rua do Rio”, no interior da favela do Jacarezinho. Tal fato está ligado a gravação de um videoclipe do MC 50 na data de hoje, 21 de julho, no interior da comunidade do Jacarezinho – diz a nota.

Já a Polícia Civil, que também emitiu um comunicado sobre o acontecido, disse que todo o material utilizado foi entregue na Delegacia do Engenho Novo, também na Zona Norte, e relatou que os participantes da gravação teriam feito o uso de drogas na presença de crianças.

– [Além dos] Atores empunharem simulacros de arma de fogo e agirem como se pertencessem a uma organização criminosa, aparentemente ainda faziam consumo de drogas quando das filmagens na presença de crianças e adolescentes – relatou a polícia.

A autoridade policial também informou que, além da corrupção de menores, os envolvidos na ação poderão ser indiciados por violação das normas sanitárias por causarem aglomeração de pessoas com a gravação do videoclipe.

– As investigações terão prosseguimento buscando a qualificação e individualização da conduta de todos os envolvidos e, uma vez comprovadas as suas culpabilidades, serão indiciados pelos crimes de Corrupção de Menores, Incitação ao Crime, violação de normas sanitárias por conta da pandemia do COVID-19, em razão da aglomeração causada pela gravação, além de outros porventura apurados no transcorrer da persecução penal – concluiu.

Leia também1 Toffoli mantém suspensão de ações da PM em favelas do RJ
2 Flavio B. contesta Marinho: 'Tem interesse na minha vaga'
3 Flordelis não vai a depoimento no RJ sobre adoção de filha
4 Cissa Guimarães homenageia filho morto há 10 anos
5 Gabriel Monteiro explica vídeo com feministas que viralizou

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.