Polícia diz que caso de pastor é pior que o de Isabella Nardoni

Delegado detalhou a forma como Georgeval estuprou e matou o filho e o enteado em Linhares

Pleno.News - 23/05/2018 16h04

Polícia concluiu investigações, descobrindo como Georgeval matou as crianças Foto: Reprodução

Segundo o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, o caso os irmãos mortos no incêndio em Linhares, no Espírito Santo, é pior do que o caso da menina Isabella Nardoni, que foi assassinada pelo pai e pela madrasta em 2008.

Nesta quarta-feira (23), a Polícia concluiu que o pastor Georgeval Alves é o responsável pela morte do filho Joaquim, de três anos, e de seu enteado Kauã, de seis anos.

O delegado André Jaretta Ardison, da força-tarefa que investiga o caso, afirmou nesta quarta que o pastor estuprou e agrediu as duas crianças e, em seguida, ateou fogo nelas, no dia 21 de abril, dentro do quarto onde as vítimas dormiam.

– Ele estuprou as duas crianças. Isso é demonstrado tecnicamente pelo encontro de uma substância denominada PSA, que é encontrada no sêmen humano. Essa substância foi encontrada no orifício anal das duas crianças. Essa substância não poderia estar naquele local a não ser por um fator externo – contou o delegado.

Jaretta também divulgou mais detalhes como sangue encontrado no banheiro da residência que, por meio de testes, foi comprovado como sendo do menino Joaquim.

– Com as crianças vivas, porém desacordadas, ele as levou para a cama, utilizou um combustível derivado de petróleo e ateou fogo nelas e no local, fazendo com que elas fossem mortas pelo calor do fogo. Elas foram mortas pelo fogo. O exame comprova que elas foram mortas carbonizadas. Ambas tinham fuligem na traqueia, o que indica que elas respiravam a fumaça do incêndio – detalhou o delegado.

LEIA TAMBÉM+ 'Linhares' é um dos termos mais comentados do Twitter
+ Polícia diz que caso de pastor é pior que o de Isabella Nardoni
+ ES: Cartazes de protesto são colados na casa do pr. George