Leia também:
X Hang rebate críticas da CPI sobre roupa verde e amarela

Picanha e telefone achados não eram do ‘faraó dos bitcoins’

Inspetor afirmou que material não estava na cela do detento

Pierre Borges - 29/09/2021 17h19 | atualizado em 01/10/2021 13h49

Glaidson Acácio dos Santos foi preso pela PF Foto: Reprodução/Redes Sociais

Os celulares e as carnes encontradas na cadeia pública Joaquim Ferreira de Souza, no Rio de Janeiro, não pertenciam a Glaidson Acácio dos Santos, conhecido como “faraó dos bitcoins”. As informações são da Band News.

De acordo com o depoimento do inspetor da Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional (SISPEN), que realizou a fiscalização no presídio e encontrou os materiais, os celulares foram encontrados na cela de outro detento e as peças de picanha estavam na área comum da galeria.

Glaidson foi preso no dia 25 de agosto, suspeito de operar um esquema de pirâmide milionário, mas não foi citado pelo inspetor. Após a descoberta, o diretor, o subdiretor e o chefe de segurança da unidade foram exonerados. Glaidson e outro detento foram transferidos preventivamente para a penitenciária de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino, conhecida como Bangu 1.

O caso segue sob investigação da corregedoria e todos os presos com acesso à galeria foram ouvidos.

Leia também1 Hang rebate críticas da CPI sobre roupa verde e amarela
2 Ex de Urach nega acusações e diz que modelo "está transtornada"
3 Hang na CPI: "Esperava perguntas inteligentes, não narrativas"
4 Prefeito de NY pede que Michelle mande Bolsonaro se vacinar
5 Deputado oferece cursos para agentes de segurança do RJ

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.