Leia também:
X Consultoria de Moro já recebeu R$ 17 milhões da Odebrecht

PF realiza a maior apreensão de cocaína pura da história do RJ

Dois homens foram detidos, entre eles um policial militar que fazia a segurança do local onde a droga estava

Paulo Moura - 02/12/2020 10h51 | atualizado em 02/12/2020 10h56

Polícia apreendeu cerca de 2,5 toneladas de droga no Rio de Janeiro Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) prendeu dois homens em flagrante na noite da terça-feira (1°), após apreender cerca de 2,5 toneladas de cocaína em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a corporação, trata-se da maior apreensão de cloridrato de cocaína – forma mais pura e valiosa da droga – já realizada no estado do Rio de Janeiro.

A PF obteve informações de que uma organização criminosa estaria se valendo de um galpão para armazenar a cocaína. Os investigadores identificaram então movimentação suspeita de veículos no local e realizaram a incursão que resultou no flagrante da noite passada.

Dois homens que estavam no local foram presos e, com eles, foram apreendidas também, duas armas sem registro – uma pistola e um revólver -, além de um rádio comunicador. A cocaína apreendida foi encaminhado à Superintendência da Polícia Federal no RJ e a pesagem registrada foi de 2,466 toneladas da droga.

Entre os detidos, está um policial militar que estava de folga e fazia a segurança do local em que a droga estava armazenada, de acordo com a PF. Os presos foram indiciados e responderão por tráfico de drogas, cuja pena pode chegar aos 15 anos de reclusão, informou a PF.

*Estadão

Leia também1 Filha de Elias Maluco é presa acusada de tráfico de drogas
2 Coração de Maradona é extraído para autópsia, diz site argentino
3 Ex-bruxa da Cracolândia conclui graduação em Missões
4 Falsa grávida é presa após usar melancia para esconder drogas
5 Magrini: História do "quarto do pó e do sexo" na Globo foi 'pilha'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.