Leia também:
X Paulo Skaf critica Doria e questiona isolamento em SP

PF e PRF realizam apreensão “histórica” de 28t de maconha

Entorpecente estava escondido sob carga de milho no Mato Grosso do Sul

Paulo Moura - 21/05/2020 09h07

Polícia apreendeu 28 toneladas de drogas no MS Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram na quarta-feira (20), a maior apreensão de drogas já feita no Brasil ao apreenderam um caminhão, entre as cidades de Tacuru e Iguatemi, no Mato Grosso do Sul. No veículo, eram transportadas aproximadamente 28 toneladas de maconha.

A apreensão teve início com uma ação da Polícia Federal realizada em um hotel na cidade de Ponta Porã, também no Mato Grosso do Sul, onde policiais localizaram um hóspede com comportamento que levantava suspeitas. Após análise dos documentos, a polícia descobriu que ele era um motorista de caminhão.

Com isso, a PF conseguiu identificar o caminhão que era dirigido pelo suspeito como um veículo que saiu da cidade de Ponta Porã, transportando uma carga de milho. Porém, após o veículo ser abordado pela PRF, foi descoberto que sob a carga estavam diversos pacotes de maconha que, após a pesagem inicial, totalizaram aproximadamente 28 toneladas.

O motorista, que foi detido, informou que já havia pegado o caminhão carregado e levaria a carga para a cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

– As forças policiais seguem trabalhando e apreendendo quantidades significativas de produtos ilícitos, protegendo a sociedade mesmo durante a pandemia decorrente do novo coronavírus – declarou a PF em nota.

Leia também1 Mario Frias aceita convite e deve assumir a Cultura
2 Uso da cloroquina é 'clamor popular', diz secretária
3 E. Bolsonaro pede doação de sangue para delegado baleado
4 Bretas manda recado a Witzel: "Justiça é isenta e imparcial"
5 Sem saída, Doria quer 'reunião de paz' com Jair Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.