Leia também:
X Ciro descarta aliança com Moro e Doria: “Viúvas de Bolsonaro”

Personal trainer sobre esposa: ‘Ela nunca fez ações de caridade’

Eduardo Alves agrediu morador de rua que teve relações sexuais com a mulher dele, em Planaltina

Pleno.News - 18/03/2022 16h49 | atualizado em 18/03/2022 17h39

Eduardo Alves durante entrevista ao colunista Leo Dias Foto: Reprodução/Print de vídeo YouTube Metrópoles

O personal trainer que virou notícia no país após agredir um morador em situação de rua que estava tendo relações sexuais com sua esposa, Sandra Mara, disse ao jornalista Leo Dias, do Metrópoles, que foram divulgadas informações equivocadas sobre a mulher dele. O educador físico Eduardo Alves revelou que a companheira nunca tinha feito ações de caridade.

– Olha, ações de caridade a Sandra nunca fez. O que aconteceu é o seguinte: infelizmente, implicaram isso a ela. Falaram que ela fazia ações, que ela ajudava, só que tudo foi divulgado de uma maneira errônea, que não condiz com ela. Até porque se você for pegar ela futuramente para conversar, ou conversar com alguém que participou do momento, especialmente, a igreja… tinha 3 dias que ela tinha começado a frequentar a igreja – falou o personal.

Ele afirmou ainda que a esposa tinha ido evangelizar.

– No caso, foi a primeira vez que ela se dispôs a estar [lá] – disse o homem.

Na mesma entrevista, Eduardo disse que “surtou” quando viu que havia um homem dentro do carro da esposa dele.

– Quando eu avistei o carro, eu não imaginei, de imediato, que teria algum morador de rua lá dentro, eu imaginei que ela poderia estar em alguma casa na vizinhança. Até então, era para fazer uma doação. (…) Quando eu cheguei na parte da frente, foi quando eu tomei nota do que estava acontecendo, que foi quando eu vi um homem. Naquele momento, eu já vi que estava errado e foi quando, particularmente, eu já surtei. Eu só queria tirar ele de lá, porque para mim não estava certo, não é da Sandra – falou o personal.

ENTENDA O CASO
O personal trainer Eduardo Alves, de 31 anos, teria flagrado a esposa tendo relações sexuais com um morador de rua. Ele espancou o sem-teto e disse à polícia que a mulher, de 33 anos, foi vítima de violência sexual. O caso aconteceu na noite da última quarta-feira (9), no Jardim Roriz, em Planaltina (DF).

O caso está sendo apurado pela Polícia Civil.

Aos investigadores, o personal explicou que agrediu o mendigo por pensar que a esposa estava sendo estuprada. Ele também afirmou que a mulher enfrenta problemas psicológicos. Porém, a esposa dele disse aos agentes que as relações foram consentidas.

A mulher contou aos policiais que tinha interesse em ajudar pessoas vulneráveis por meio da igreja. Além disso, ela teria dito a um amigo, que havia recebido uma “mensagem de Deus” para ajudar o homem com quem foi vista.

Os envolvidos no episódio foram levados para a 16ª Delegacia de Polícia, em Planaltina. Eles foram liberados em seguida.

O morador de rua chegou a receber atendimento em um hospital da região. Segundo o portal G1, ele não foi mais visto na cidade e a unidade de saúde não informa se o homem recebeu alta.

Por ter agredido o morador de rua, Eduardo poderá responder por lesão corporal. Segundo o delegado, o caso está em sigilo.

VERSÃO DO MENDIGO
O morador de rua que foi espancado por um personal trainer recebeu alta do Hospital Regional de Planaltina (HRP), no Distrito Federal, nesta quinta-feira (17). Ele passou uma semana internado na unidade de saúde.

Segundo a assistente social Andréa Pádua, o sem-teto já foi levado para um abrigo da Secretaria de Desenvolvimento Social.

– Ele saiu de alta médica pouco antes de meio-dia. Foi para um acolhimento institucional, por meio da central de vagas – relatou Pádua.

A assistente revelou ainda que o mendigo, de 48 anos, está em um local fora da cidade.

– Ele está em um abrigo do DF, pediu para não ficar em Planaltina – explicou ela.

De acordo com os médicos, o morador de rua não sofreu fraturas. Ele, que foi agredido por ter relações sexuais com a esposa do personal, já está com o rosto menos inchado.

O homem tinha solicitado vaga em um abrigo após ficar assustado com a repercussão do caso, conforme o portal R7.

Em depoimento, o morador de rua disse que não estuprou a esposa do personal. Segundo ele, um carro parou perto de uma escola paroquial. A esposa do personal estava no veículo e o chamou.

O sem-teto relatou ainda que, enquanto estava nu e tendo relações com a mulher, um “homem bravo invadiu o veículo” e uma briga foi iniciada.

O QUE DIZ O PERSONAL TRAINER
Um vídeo publicado pelo jornalista Luis Xavier, no Twitter, mostra o homem contando uma versão diferente da que tem sido noticiada. O conteúdo foi divulgado na noite de terça-feira (15). Na gravação, Eduardo fala que “estão gerando conteúdo ofensivo contra a honra” de sua esposa. Ele afirma ainda que a mulher está internada após o episódio.

– Boa noite! Eu sou Eduardo Alves. Venho informar que estão gerando conteúdo ofensivo contra a honra da minha esposa, [que] sofreu violência sexual aqui na cidade de Planaltina (DF) por um morador de rua. E diante disso, vejo que os fatos têm sido transmitidos de maneira errônea por ambas as partes, sendo que no momento o foco deveria estar na saúde dela. Até porque a mesma se encontra internada. Mediante a isso, eu venho pedir que parem com essa questão de divulgação, ainda mais da maneira errada. Querendo ou não, isso está prejudicando toda a família, a mim e a Sandra, quando na realidade os cuidados deveriam estar sendo voltados apenas na melhora dela. Tá ok? – declarou o marido.

Em nota enviada ao portal UOL, o personal trainer disse confiar na investigação realizada pelas autoridades.

– A Sandra sempre foi uma mulher honesta, trabalhadora, temos atividades profissionais e filhos pequenos. O que aconteceu na última quarta-feira foi algo terrível que nunca havíamos vivenciado. Seguimos confiantes no trabalho de investigação da Polícia Civil do DF e do Ministério Público do DF – afirmou.

No comunicado, o personal classifica a história vivida pela companheira como “algo terrível”. Eduardo diz ainda que a família tem dado suporte, já que a mulher foi internada após o incidente, e pede que seja interrompida o que chama de “divulgação de matérias inverídicas”.

– A família tem dado todo o suporte a ela, estamos acompanhando a evolução médica. Pedimos a cessação de divulgação de matérias inverídicas, que menosprezam a mulher vítima de violência – acrescentou ele, no texto.

NOITE DA CONFUSÃO
Câmeras de monitoramento registraram as agressões de Eduardo contra o mendigo. Na noite do espancamento, a mulher dele saiu com a sogra para ajudar o morador de rua. Depois, as duas teriam se separado.

Sem conseguir contato com a esposa via telefone, ele foi até um Centro de Ensino Fundamental Paroquial. Ao se aproximar, Eduardo viu o carro usado pela mulher dele. Foi então que o personal flagrou a companheira e o sem-teto tendo relações dentro do veículo.

MULHER DISSE QUE VIU IMAGENS DE DEUS E DO MARIDO NO MENDIGO
Em áudios obtidos pela TV Globo, a mulher afirmou que foi abordada pelo morador de rua, que pedia dinheiro. O sem-teto pediu um abraço e os dois entraram no carro. No veículo, o mendigo teria feito carinho no pé dela e falou para irem para outro lugar. Os dois teriam marcado um encontro. No local combinado, eles entraram no automóvel e tiveram relações sexuais.

Ela disse que viu “imagens do marido e de Deus” no sem-teto.

Segundo informações do portal G1, a esposa do personal disse ainda que não tinha ingerido bebida alcoólica.

ADVOGADA DO CASAL
A advogada do casal não teve o nome revelado. A defensora disse que a esposa de Eduardo está internada em um hospital particular e “recebendo suporte clínico e psiquiátrico, conforme protocolo de atendimento para esse tipo de violência”, conforme revelado pelo UOL.

POSTURA DA POLÍCIA
Ao G1, o delegado responsável pela 16ª DP disse que não se manifestaria sobre o caso.

Por meio de mensagem de aplicativo, o delegado disse à TV Globo, na terça-feira (15), que “o caso é sensível, a investigação ficou sigilosa e, por isso, não vamos divulgar detalhes até a finalização do caso”.

Na quarta-feira (16), um agente disse que “o delegado Diogo Cavalcante recebeu ordens para não falar com a imprensa”.

O QUE DIZEM OS VIZINHOS
De acordo com o G1, vizinhos relataram que Eduardo “entra e sai” de uma loja da qual é dono. Além disso, o personal estaria dividindo seu tempo entre a delegacia e o hospital onde a esposa está internada.

Moradores afirmaram ainda que o marido “está muito abalado”.

Veja as imagens, abaixo:

Leia também1 'Queria pedir às pessoas terem um pouco mais de empatia'
2 Polícia acha sangue em carro usado por mulher de personal
3 Novas imagens mostram agressão a morador de rua no DF
4 Personal que bateu em morador de rua: 'Casamento continua'
5 Morador de rua agredido por personal é levado para abrigo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.