Leia também:
X Lava Jato no Rio rebate acusações de Gilmar Mendes

Paisagista pede que ajuda seja concedida a outras mulheres

"É muito importante que alguém, quando ouve por socorro, dê o socorro", disse

Ana Luiza Menezes - 25/02/2019 20h32

A paisagista Elaine Caparroz Foto: Vladimir Platonow/Agência Brasil

Nesta segunda-feira (25), a paisagista Elaine Caparroz prestou depoimento na 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, à delegada Adriana Belém. Na ocasião, ela também fez um discurso para agradecer às pessoas que a salvaram quando ouviram seus gritos por socorro. Para ela, é imprescindível que vizinhos socorram mulheres em perigo.

– Eu acho que isso é uma coisa importante, porque se tivesse alguém arrombado a porta, eu não teria passado tudo o que eu passei. Então é muito importante que alguém, quando ouve por socorro, realmente dê o socorro. Eu quero agradecer às pessoas que salvaram a minha vida, porque quando fui encontrada, estava praticamente morta – declarou.

Belém também enfatizou a importância do apoio às vítimas. Segundo ela, testemunhas de casos de violência não devem se calar diante de um pedido de ajuda.

– Talvez a Elaine tenha tido sua vida preservada porque lutou até o final, pediu socorro e foi ouvida. Essa máxima de que em briga de marido e mulher ninguém se mete, tem que se meter, sim. É uma vida que podemos salvar ali. Desde que ouçam um grito de desespero, as pessoas têm que se humanizar, têm que chamar a polícia, sim, têm que tentar ajudar – argumentou.

CASO ENVIADO PARA A JUSTIÇA
O inquérito sobre a violência que ela sofreu foi concluído nesta segunda-feira e será enviado para a Justiça. A delegada responsável pelas investigações afirmou que o advogado Vinícius Serra será enquadrado por tentativa de feminicídio.

Adriana não acredita que o jovem tenha algum problema mental e defende que ele agiu de forma premeditada.

– Não vejo a menor possibilidade de um surto psicótico. Acho que ele teve uma atitude monstruosa. Além das agressões no rosto, ele chegou a arrancar pedaços dela. Eu não posso entender que uma pessoa dessas seja capaz de conviver na sociedade – disse.

Atualmente, Vinícius está sub custódia em um hospital psiquiátrico. Ele ainda será submetido a um exame de qualidade mental.

RIXA
A delegada defende a possibilidade de o crime ter sido motivado por uma rixa entre o jovem e a família Gracie.

– A vítima detalha desde o início o contato que estabeleceu com o Vinícius através de redes sociais e aplicativos de mensagens. Ele sempre tentou forçar alguma forma de encontrá-la em casa e sozinha. Após o filho [Rayron Gracie] postar uma foto com ela em uma rede social, Vinícius viu o perfil e solicitou a amizade dela. Vamos apurar com a Justiça para ver se tem algo nessa linha – avaliou Adriana.

Leia também1 Polícia diz que espancamento de paisagista foi premeditado
2 Prefeitura do Rio irá agendar castrações de gatos nesta terça
3 Chuva forte deixa o Rio de Janeiro em estágio de atenção

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.