Leia também:
X Pazuello: ‘Em janeiro, a gente começa a vacinar todo mundo’

Paes critica ação de busca e apreensão em sua residência

Ex-prefeito do Rio de Janeiro afirmou que operação foi uma "tentativa clara de interferência do processo eleitoral"

Henrique Gimenes - 08/09/2020 15h58 | atualizado em 08/09/2020 17h23

Eduardo Paes Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Após ter sido denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por corrupção e lavagem de dinheiro e ser alvo de uma ação de busca e apreensão em sua casa, o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, classificou a operação de “tentativa clara de interferência do processo eleitoral”.

A operação foi autorizada pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, que aceitou a denúncia contra o ex-prefeito do Rio de Janeiro e mais quatro investigados. De acordo com o MP-RJ, Paes teria recebido cerca de R$ 10,8 milhões da Odebrecht para financiar sua campanha à reeleição em 2012. O dinheiro teria sido repassado por meio de caixa 2.

Ao comentar a ação, Eduardo Paes afirmou que “às vésperas das eleições para a Prefeitura, Eduardo Paes está indignado que tenha sido alvo de uma ação de busca e apreensão numa tentativa clara de interferência do processo eleitoral – da mesma forma que ocorreu em 2018 nas eleições para o governo do Estado”.

Além de Paes, também foram denunciados o deputado federal Pedro Paulo (DEM-RJ) e os empresários Benedicto Barbosa da Silva Junior, Leandro Andrade Azevedo, o marqueteiro Renato Pereira e Eduardo Bandeira Villela.

Leia também1 MP do Rio de Janeiro denuncia Eduardo Paes por corrupção
2 'Witzel tem muito o que explicar à sociedade', diz deputado Alexandre Freitas
3 STF não vê "clima" e acha difícil salvar Wilson Witzel
4 Câmara do Rio rejeita abrir impeachment de Crivella
5 Maia convoca sessão para homenagear Dias Toffoli

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.