Leia também:
X Bolsonaro após queda do PIB: Um dos que ‘menos caiu no mundo’

Padre é preso suspeito de assalto a três lojas no Rio Grande do Sul

Crimes foram cometidos em único dia no município de Passo Fundo

Pleno.News - 03/03/2021 17h00 | atualizado em 04/03/2021 11h04

Padre foi preso por suspeita de assaltar três lojas em Passo Fundo (RS) Foto: Divulgação

Na noite desta terça-feira (2), a Brigada Militar de Passo Fundo (RS) prendeu um padre suspeito de ter cometido assaltos em pelo menos três lojas na cidade. De acordo com informações da polícia, os crimes teriam sido cometidos em dois mercados e em uma farmácia. A informação foi dada pelo portal G1.

A polícia informou que os assaltos foram cometidos em um único dia por um homem com as mesmas características, dirigindo o mesmo veículo.

Após investigação, o homem foi identificado como o padre Elizeu Moreira.

Ao veículo, o delegado Diogo Ferreira informou que o próximo passo é investigar a motivação para os crimes.

– Ele foi autuado em flagrante por esses três crimes e foi representada pela prisão preventiva. Os próximos passos aí agora é verificar o porquê, não há uma explicação lógica pra esse fato… [Ele] simplesmente praticou os crimes. Mas, então, agora a investigação vai apurar essas demais circunstâncias que envolvem ao caso – ressaltou o delegado.

Com o padre, agentes encontraram uma arma falsa, um mochila com um boné que teria sido usado para cometer os crimes, R$ 655 e produtos de higiene.

Elizeu Moreira atua na Diocese de Passo Fundo. Ele foi ordenado padre em 2019.

Leia também1 Ciro 'manda a real' e diz que Haddad 'é boneco de ventríloquo'
2 Coronavírus: Produto criado por brasileiros protege embalagens
3 Viúvo de Daniella Perez desabafa sobre a perda: "Não tinha forças"
4 ONGs processam grupo francês por desmatamento
5 Mais de 75 mil lojas fecharam no Brasil em 2020, aponta CNC

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.