Leia também:
X Associação critica aumento de 46% no salário de Bruno Covas

Outra mulher é morta a facadas pelo marido na frente das filhas

Feminicídio foi cometido durante discussão

Pleno.News - 28/12/2020 21h36 | atualizado em 29/12/2020 11h15

Mulher foi morta pelo companheiro na frente das quatro filhas Foto: Reprodução

Mais um feminicídio na madrugada desse domingo (27), em Três Corações, no Sul de Minas, eleva a pelo menos sete o número de assassinatos de mulheres por maridos, namorados ou ex-companheiros, em apenas cinco dias do atual período de festas de fim de ano no Brasil. Dos sete crimes, dois assassinatos foram cometidos a faca e na frente dos filhos.

Além de em Minas Gerais, onde foram registrados dois feminicídios, os outros crimes aconteceram em Santa Catarina, no Paraná, no Rio de Janeiro, em Pernambuco e no Rio Grande do Sul.

A mulher morta na madrugada de domingo em Minas foi identificada como Camila Miranda Bandeira, de 32 anos. O suspeito de cometer o assassinato, a facadas, é ou companheiro dela, que foi preso à tarde. Em maio, a vítima já havia denunciado o companheiro. Mas, segundo a Polícia Civil, ela não quis atendimento médico, não entrou com representação contra ele e não pediu medida protetiva.

Na ocasião, segundo a polícia, o homem havia quebrado o celular da vítima. A corporação afirmou que, no caso de dano patrimonial, é necessária representação contra o autor. No que se refere a medidas protetivas, conforme a Polícia Civil, a vítima precisa pedir na delegacia que elas sejam estabelecidas.

O crime aconteceu na casa da família, na frente das quatro filhas do casal, todas menores. Segundo a Polícia Civil, o motivo seria ciúmes. A delegada responsável pelas investigações, Hipólita Brum de Carvalho, da Delegacia de Mulheres de Três Corações, afirma que a discussão começou por causa de um celular.

– O autor, desconfiando que a vítima o estava traindo, tomou seu celular. Alterado, o homem a agrediu e a matou na frente das quatro filhas do casal – afirmou a delegada. O homem foi localizado pela Polícia Militar em uma rodovia.

JUÍZA VIVIANE ARRONENZI
Na véspera de Natal, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos, foi assassinada na Barra da Tijuca, no Rio, pelo ex-marido, Paulo José Arronenzi, de 52 anos, com 16 facadas. O crime foi cometido na frente das três filhas, que têm entre 7 e 9 anos. O assassino foi preso em flagrante.

*Estadão

Leia também1 'Stalking': Prática pode se tornar crime contra mulheres
2 Justiça bloqueia R$ 640 mil de ex-marido que matou juíza no RJ
3 Juíza é morta pelo ex-marido na frente das filhas, no Rio
4 GO: Mulher encontra recém-nascido em caixa de papelão
5 Laudo aponta que ex-marido desferiu 16 facadas em juíza

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.