Leia também:
X Eduardo Bolsonaro nega atuação em invasão ao Capitólio

Operação prende envolvidos em falsificação de alvarás de soltura

Detentos foram favorecidos com documentos falsos para deixar, pela porta da frente, as prisões em que estavam

Paulo Moura - 09/03/2021 07h42 | atualizado em 09/03/2021 09h36

Presos foram soltos com uso de alvará falso Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro e a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) prenderam, no início da manhã desta terça-feira (9), ao menos três suspeitos de envolvimento em um esquema de falsificação de alvarás de soltura, para a liberação de detentos de presídios fluminenses.

A fraude em questão levou pelo menos três presos a sair pela porta da frente de cadeias, mesmo sem decisão judicial favorável. Um dos beneficiários do esquema fraudulento foi João Filipe Cordeiro Barbieri, um dos maiores traficantes de armas do mundo. João Filipe é enteado de Frederick Barbieri, considerado o Senhor das Armas, que está preso nos Estados Unidos.

Até 7h30 desta terça, já foram presos as advogadas Angélica Coutinho Rodrigues Malaquias Campos e Débora Albernaz de Souza, além de Fábio Luis da Silva Polidoro, servidor da Seap. Outros dois suspeitos eram procurados. A força-tarefa também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão.

AS FUGAS
João Filipe Barbieri fez uso de um alvará de soltura falso para deixar a penitenciária de Bangu, em novembro do ano passado. O detento estava no local desde 2017, condenado a 27 anos de prisão por associação para o tráfico e tráfico internacional de armas

Barbieri é acusado de ser um dos principais integrantes da quadrilha que, segundo as investigações da Polícia Federal, enviou milhares de fuzis para o Brasil em aquecedores de piscina. Também foram soltos com os alvarás falsos, em nome da Justiça Federal, João Victor Roza e Gilmara Monique Amorim.

Gilmara, que foi recapturada pela polícia na semana passada, é condenada por extorsão e sequestro. Assim como Barbieri, João Victor é acusado de tráfico de armas. As liberações dos criminosos ocorreram entre os meses de outubro e novembro do ano passado.

Leia também1 RJ investiga se mais de 40 presos foram soltos com alvará falso
2 Com alvará falso, traficante de armas deixa presídio no Rio
3 Marília Gabriela é diagnosticada com câncer e passa por cirurgia
4 Eduardo Bolsonaro nega atuação em invasão ao Capitólio
5 No Dia da Mulher, Biden cria Conselho de Política de Gênero

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.