Leia também:
X Ex-juiz Nicolau dos Santos Neto morre aos 91 anos em SP

Operação mira empresa que não entregou respiradores

Três pessoas foram presas em duas capitais brasileiras por integrarem grupo criminoso

Paulo Moura - 01/06/2020 08h58 | atualizado em 01/06/2020 09h00

Viatura da Polícia Civil do Distrito Federal cumpre mandados em Brasília Foto: Divulgação/Polícia Civil do Distrito Federal

Uma operação coordenada pela Polícia Civil da Bahia, realizada em três estados e no Distrito Federal, prendeu três pessoas na manhã desta segunda-feira (1°). As detenções fazem parte da Operação Ragnarok, que tem como alvo uma empresa que vendeu e não entregou respiradores ao Consórcio do Nordeste.

Além das prisões, 15 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas cidades de Brasília, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro. Entre as prisões, duas foram feitas em um hotel de Brasília e a outra no Rio de Janeiro. Os presos devem ser trazidos para a Bahia ainda nesta segunda.

A polícia informou que o grupo alvo da operação já realizava crimes de estelionato, através de fraude na venda de equipamentos hospitalares. De acordo com as investigações, a empresa recebeu R$ 48 milhões por um conjunto de respiradores, não os entregou e ainda não devolveu o recurso.

A atuação do esquema foi descoberta após uma denúncia feita pelo Consórcio Nordeste, rede de governadores formada pelos nove estados da região, que afirmou ter tentado obter os itens.

As investigações indicaram ainda que a empresa investigada tentou negociar os itens, de forma fraudulenta, com vários locais pelo país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, em Brasília.

Leia também1 Vasco declara que 16 atletas do clube estão com Covid-19
2 Ex-juiz Nicolau dos Santos Neto morre aos 91 anos em SP
3 Frade de 91 anos se recupera da Covid-19 e celebra
4 Toffoli recebe alta de hospital, mas segue afastado do STF
5 RJ: Witzel planeja medidas de flexibilização do isolamento

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.