Leia também:
X Janaina sobre Braga Netto: “Presidente deveria repensar”

No RJ, passageiro é morto a tiros dentro de vagão da SuperVia

Responsável pelos disparos conseguiu fugir

Pleno.News - 27/06/2022 21h01 | atualizado em 28/06/2022 10h11

Trem da Supervia, no Rio de Janeiro Foto: GERJ

Um passageiro da SuperVia (linhas de trens metropolitanos do Rio de Janeiro) matou outro com um tiro na cabeça por volta das 14h desta segunda-feira (27), dentro de um vagão de um trem que seguia da estação Santa Cruz, na Zona Oeste, para a Central do Brasil, no Centro do Rio.

Testemunhas relataram que não houve discussão nem qualquer conversa entre autor e vítima do crime.

Quando o trem, que percorria o ramal Santa Cruz, parou na estação Deodoro, na Zona Oeste, o homem se levantou, atirou cerca de cinco vezes contra o outro e saiu do trem. Ele conseguiu fugir, aproveitando-se da correria causada pelas pessoas em pânico. A vítima morreu na hora.

Segundo o portal R7, a vítima se chamava Jairo Jonathan e tinha 24 anos. Ele era um ex-militar do Exército e trabalhava como garçom no bairro do Maracanã, na Zona Norte.

O trem parou de circular e os passageiros foram transferidos para outros trens. A concessionária que administra o serviço de trens acionou o Corpo de Bombeiros e o Grupamento de Policiamento Ferroviário. A Delegacia de Homicídios do Rio foi acionada e agentes realizaram perícia no vagão.

Até a publicação desta reportagem, a Polícia Civil buscava imagens que pudessem identificar o atirador, mas ainda não havia informações nem suspeitas sobre o criminoso.

*AE

Leia também1 Bolsonaro avisa que a Petrobras terá uma “nova dinâmica”
2 Top Gun: Maverick se torna maior bilheteria em 2022
3 "Bolsonaro não se vende para a imprensa", diz Carla Cecato
4 Prejuízo: Casa de Ronaldo é roubada em Ibiza, diz jornal
5 ANS suspende temporariamente comercialização de 70 planos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.