Leia também:
X Com 2,4%, João Doria promete ‘combater’ Alckmin e Lula

Nikolas Ferreira expõe politização da morte de congolês no RJ

Vereador de Belo Horizonte criticou a esquerda por utilizar "uma morte trágica para ficar fazendo palanque político"

Henrique Gimenes - 07/02/2022 19h36 | atualizado em 08/02/2022 12h02

Nikolas Ferreira criticou o uso político, por parte da esquerda, da morte do congolês Moïse Kabagambe no Rio de Janeiro Foto: Reprodução/Youtube

Em um vídeo publicado em suas redes sociais neste domingo (6), o vereador Nikolas Ferreira, de Belo Horizonte, lamentou o fato de a esquerda fazer um uso político da morte do refugiado congolês Moïse Kabagambe no Rio de Janeiro. De acordo com ele, o assassinato não foi um caso de racismo, mas sim “de Brasil”.

A morte ocorreu no dia 24 de janeiro, quando Moïse Kabagambe foi espancado por três homens com socos, chutes e até com pedaços de pau. O crime ocorreu em um quiosque na Barra da Tijuca, Zona Oeste do município, e teria sido motivado após o congolês ter ido cobrar por diárias de trabalho no quiosque.

O fim de semana foi marcado por protestos contra a morte do congolês.

– No Brasil, existe racismo sim e ponto. Mas, nesse caso, mais uma vez a esquerda está utilizando uma morte trágica para ficar fazendo palanque político. Isso não foi um caso de racismo. Isso foi simplesmente Brasil. Porque aqui, no Brasil, a impunidade reina – ressaltou Nikolas.

Na sequência, o vereador mostrou uma foto dele sendo queimada no que seria um dos protestos.

– Agora chuta de quem a esquerda foi queimar foto nessa manifestação? Isso é uma foto minha sendo queimada. E olha essa legenda “essa guerra acabaria se os assassinos de Moïse estivessem sangrando como ele sangrou. A esquerda é amor, sim, confira – destacou.

Por fim, Nikolas questionou a relação de seus posicionamentos políticos com o crime.

– E o que eu tenho a ver com esse caso? É surreal como eles tentam pegar uma coisa terrível e associar a mim, ao Bolsonaro – destacou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Nikolas Ferreira (@nikolasferreiradm)

Leia também1 RJ: Prefeitura oferece gestão de quiosque à família de congolês
2 Lula "culpa" Bolsonaro por morte de jovem congolês no Rio
3 Justiça decreta prisão de homens que mataram congolês no Rio
4 Arquidiocese de Curitiba repudia invasão de igreja
5 Vereador petista que invadiu igreja pode perder mandato

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.