Leia também:
X 2022: Moro vê Huck, Doria e Mandetta como “bons nomes”

“Não cabe à mãe de Miguel julgar”, diz Sari ao Fantástico

Mirtes de Souza afirmou que não está pronta para perdoar a ex-patroa

Rafael Ramos - 06/07/2020 14h33 | atualizado em 06/07/2020 15h10

Sari falou pela primeira vez sobre a morte de Miguel Foto: Reprodução/TV Globo

Indiciada pelo crime de abandono de incapaz, que resultou na morte do pequeno Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, Sari Gaspar Corte Real foi entrevistada, neste domingo (5), pelo Fantástico, da Rede Globo. Usando roupas brancas, pouca maquiagem e com um terço na mão, Sari lamentou por tudo o que aconteceu.

– Eu sinto que eu fiz tudo que eu podia. E, se eu pudesse voltar no tempo, eu voltava. Se eu soubesse que tudo isso ia acontecer, eu voltava no tempo e ainda tentava fazer mais do que eu fiz naquela hora. Esperava mais. Não sei, não sei dizer. Eu só sei que eu fiz, naquela hora, tudo o que eu podia. E, em nenhum momento, eu fiz nada prevendo o que aconteceu.

A esposa do prefeito de Tamandaré (PE), Sérgio Hacker, tentou se defender dizendo que foi Miguel quem abriu a porta de casa para procurar a mãe, a empregada doméstica Mirtes Renata Santana de Souza. Ela acreditou que o menino fosse voltar para o andar em que estavam já que, segundo ela, Miguel sabia os números.

– Eu não achei que seria essa tragédia. Eu acreditei que ele voltaria para o andar, que ele voltaria para o quinto andar. Até porque ele sabia os números, sabia tudo.

Entretanto, Mirtes disse que o filho tinha dificuldade em reconhecer alguns algarismos. Porém, a doméstica afirmou que Miguel só entrava no elevador na companha dela ou na de sua mãe, Marta, que também trabalhava no local.

Mirtes ao lado do filho Miguel Otávio, de 5 anos Foto: Reprodução

A primeira-dama de Tamandaré também desmentiu o depoimento da manicure, que disse à polícia de que Sari voltou a fazer as unhas depois que o menino entrou no elevador.

– Não deu tempo de sentar! Jamais voltaria a fazer a unha naquela situação. Não tinha como, não tinha cabimento um negócio desse.

Respondendo ao processo em liberdade após pagar uma fiança de R$ 20 mil, Sari Corte Real pode pegar pena de 4 a 12 anos de prisão. Ela diz que prefere aguardar a decisão da Justiça

– Até hoje eu estou aqui firme porque muita gente depende de mim. E, se lá na frente, o resultado for esse, eu vou cumprir o que a lei pedir. Eu acho que está na mão da Justiça, não cabe a mim, não cabe à mãe de Miguel julgar, não cabe à sociedade. Cabe à Justiça. Eu vou aguardar o que a Justiça decidir.

Também entrevistada pelo Fantástico, Mirtes disse que não está pronta para perdoar a ex-patroa. A mãe de Miguel Otávio declarou que vive para ver justiça pela morte do menino.

– Não tenho como perdoar porque ela acabou com a minha vida. Pensar que eu ainda tenho o resto da vida sem ele é o que dói mais ainda. Dói muito olhar para cada cantinho desta casa e não ter meu filho junto comigo. Não tenho mais meu filho, não tenho mais meu Neguinho por conta da vaidade dela. Que ela pegue a pena máxima. Eu tinha muitos planos, muitos sonhos, e tudo isso foi junto com meu filho no caixão. Que ela realmente pague pelo erro dela. Minha razão de viver agora é a justiça pela morte do meu filho.

Leia também1 Caso Miguel: Prefeito casado com Sarí pode perder o cargo
2 Caso Miguel: Sari é indiciada por abandono de incapaz
3 "Pessoa fria e calculista", diz mãe de Miguel sobre ex-patroa
4 PF conclui inquérito do Museu Nacional e isenta gestores
5 650 pessoas tiveram contato com bactéria da peste negra

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.