Leia também:
X Deltan e Boulos estão no topo da arrecadação com vaquinhas virtuais

Mulher é presa suspeita de agredir filho com frigideira

Caso aconteceu na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro

Pleno.News - 08/08/2022 18h05 | atualizado em 08/08/2022 18h36

Mulher é presa suspeita de agredir filho com frigideira quente (Imagem ilustrativa) Foto: Pixabay

Neste domingo (7), uma mulher foi presa suspeita de torturar o filho. O caso aconteceu na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Segundo a Secretaria de Estado do Governo do Rio de Janeiro, agentes da Operação Segurança Presente do Leblon efetuaram a prisão em flagrante. A criança, de 11 anos, tinha fugido da casa onde mora, na Comunidade do Vidigal.

O menino procurou os policiais para pedir ajuda, pois a mãe o agrediu com um soco, uma colher de metal e uma frigideira quente. A equipe solicitou o apoio do Conselho Tutelar.

O menor contou ser trigêmeo e explicou que morava com seus outros dois irmãos, que também sofriam agressões. Ele também tem uma irmã, de 5 anos de idade.

A suspeita procurou os agentes dizendo estar procurando o filho e acabou sendo levada para a 14ª DP. O filho dela foi encaminhado ao IML para realizar o exame de corpo de delito. Após recebimento do laudo foi determinada a prisão em flagrante pela prática do crime de tortura, uma vez que o laudo trazia informações de que as “lesões foram produzidas através de meio cruel e que a multiplicidade das lesões denotam a vontade deliberada do autor em impor intenso sofrimento físico à vítima”.

A mulher permanece presa à disposição da Justiça.

Leia também1 Motorista tem crise de rinite, perde direção e invade padaria
2 Miss Paraná 2022 perde título após descobrir que está grávida
3 Mãe e filho são encontrados mortos em sofá abandonado
4 GO: Adolescente é apreendido suspeito de matar vizinha
5 Menina de 12 anos grava próprio estupro, e padrasto acaba preso

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.