Leia também:
X Deputado defende aumento de salário de parlamentares

Ministério Público pede a prisão do médium João de Deus

Mais de 200 mulheres já acusaram o religioso de abuso sexual

Henrique Gimenes - 12/12/2018 19h04 | atualizado em 12/12/2018 19h13

O médium João de Deus Foto: Fotos Públicas/Cesar Itiberê

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) decidiu, nesta quarta-feira (12), pedir a prisão preventiva do médium João de Deus. Ele é acusado de abusar sexualmente de mulheres durante tratamentos espirituais em Abadiânia, Goiás. As informações foram dadas pelo portal G1.

O MP protocolou pedido após mais de 200 denúncias. Ao portal, o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) não confirmou nenhuma informação sobre o caso. O responsável por analisar o pedido é o juiz Fernando Chacha, da comarca de Abadiânia.

O médium afirma que é inocente. Mais cedo, João de Deus esteve na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal, onde atende. Foi sua primeira aparição pública desde as denúncias.

Leia também1 Mais de 200 mulheres acusam João de Deus de assédio sexual
2 Filha de João de Deus o acusa de estupro e move ação

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.