Leia também:
X Petista vira piada ao criticar Bolsonaro e escrever errado

Massagista é acusada de estuprar cliente em hotel de luxo

Polícia Civil do DF está investigando o caso

Gabriela Doria - 27/12/2021 15h02 | atualizado em 27/12/2021 16h25

Hotel Meliá Brasil 21 apura caso de estupro na suíte presidencial Foto: Divulgação/Meliá Brasil 21

Uma chilena de 47 anos acusa a massagista do hotel de luxo Meliá Brasil 21, que fica no Centro de Brasília, de tê-la estuprado em uma das suítes do local. A Polícia Civil do Distrito Federal está investigando o caso.

De acordo com a investigação, a massagista foi contratada pelo próprio hotel. O abuso teria acontecido na suíte presidencial, no último dia 19 dezembro, onde a mulher estava hospedada com o filho.

Segundo os autos, na tarde daquele dia, o filho da chilena ligou para a recepção solicitando o serviço da massagista para a mãe. O hotel, então, acionou a profissional, que subiu ao quarto da hóspede. De acordo com o estabelecimento, a massoterapeuta não faz parte do quadro de funcionário fixos do hotel, mas presta serviços pontuais.

No dia seguinte ao serviço, a chilena entrou em contato com a recepção, afirmando que, no dia anterior, havia vivido uma situação traumática no local, mas que não queria dar detalhes. Ela solicitou apenas que a segurança da empresa fosse reforçada e questionou a possibilidade de ser escoltada até o aeroporto no dia 22 de dezembro, quando iria embora do país.

Após muita insistência dos representantes do hotel, a mulher se limitou a revelar que havia sido estuprada por um funcionário do hotel. Foi somente através do relato do filho dela que eles descobriram que a autora do crime seria a massagista.

Segundo o rapaz, ele ficou na sala enquanto a mãe e a massagista estavam no quarto. Após algum tempo, ele contou que a mãe abriu a porta do quarto. Ela estava visivelmente abalada e chorando muito. Ainda segundo ele, a chilena teria gritado para a profissional que “não queria fazer aquilo, que só queria a massagem”. Ele relatou também que a mulher estava “se insinuando para ele” por acreditar que ele era um acompanhante.

Mãe e filho foram trocados de quarto assim que a gerência soube do ocorrido. O hotel também lacrou a suíte presidencial para preservar possíveis evidências, incluindo uma mancha de sangue que estava no chão do quarto.

A perícia já analisou a cena do suposto crime. De acordo com o portal Metrópoles, os agentes encontraram vestígios de violência e resistência dentro do quarto. Eles também estão em posse das câmeras de vigilância.

Em nota, o hotel Meliá Brasil 21 afirmou que está colaborando com as autoridades e prestando suporte à vítima.

– O hotel foi informado sobre um suposto caso de assédio a uma de suas hóspedes, ocorrido no último dia 19/12/21, e está prestando todo o suporte para a investigação do mesmo, bem como todo atendimento necessário à hóspede – diz a nota.

Leia também1 SP: Jogador de futebol é achado morto no mar de Praia Grande
2 Sertanejo Mateus, da dupla com Jorge, testa positivo para Covid
3 Invasor do castelo de Windsor queria matar a rainha Elizabeth
4 CE: Cantor de forró morre em acidente de carro após show
5 Criança morre após ser atingida por explosivo enquanto dormia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.