Leia também:
X Morte no Carrefour: Seguranças são demitidos por justa causa

Malafaia denuncia: “Prefeito ataca igrejas para favorecer PT”

Pasto criticou decreto imposto pelo prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci

Pleno.News - 21/11/2020 21h23 | atualizado em 23/11/2020 13h13

O pastor Silas Malafaia publicou, nesta sexta-feira (20), um vídeo em suas redes sociais para fazer uma grave denúncia. De acordo com ele, o prefeito de São Gonçalo (RJ), José Luiz Nanci (Cidadania), baixou um decreto para endurecer o isolamento social com o objetivo de atingir igrejas e favorecer o PT.

– Está aí o decreto e o site da Prefeitura. Shopping está aberto com algumas limitações, mercado e outros estabelecimentos. Até salão de festa. Agora, igreja não pode funcionar. Qual é a safadeza? É que São Gonçalo 40% da população evangélica. Ele não quer que os evangélicos se comuniquem porque ele está apoiando [no segundo turno] o candidato do PT que já foi eu secretário de saúde – apontou.

Malafaia então passou a criticar o PT.

– Só para lembrar o que é o PT. O maior esquema de corrupção da história do país, que deixou milhões de desempregados. É o PT que em todas as câmaras municipais onde se debateu ideologia de gênero, eles foram a favor – destacou.

Por fim, o pastor pediu a seus seguidores que votem no candidato Capitão Nelson.

– Uma verdadeira perseguição religiosa. Não deixar que igrejas abram as portas até 48 horas antes das eleições. Vamos dizer um não ao prefeito e ao PT. Vamos votar Capitão Nelson, 70 – concluiu.

Leia também1 Bolsonaro visita o Amapá e volta a ser ovacionado pela população
2 "Esquerda conseguiu seu George Floyd", diz Eduardo Bolsonaro
3 "Tempo vem provando que estávamos certos sobre a Covid"
4 Bolsonaro: "Não existe uma cor de pele melhor do que as outras"
5 Aprovação de Bolsonaro chega a 41%, a maior em dois anos

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.