Leia também:
X Boletim diz que Bolsonaro segue evoluindo satisfatoriamente

Mãe e padrasto são presos por espancar e matar filha de 4 anos

Menina chegou a ter mãos e costas queimadas com água fervendo

Gabriela Doria - 16/07/2021 21h01

Juliana Mirandella e Lucas Guimarães respondem por tortura e homicídio qualificado Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu mãe e padrasto pela morte de uma menina de 4 anos, nesta sexta-feira (16), em Petrópolis, na Região Serrana do estado. Juliana Mirandella, de 29 anos, e Lucas Guimarães, de 27, respondem por tortura e homicídio qualificado.

O casal foi denunciado após dar entrada com a pequena Angelina Mirandella, na noite desta quinta-feira (15), em um hospital local.

– Testemunham revelaram que o padrasto começou a agredir a menina apenas porque ela não queria comer. Mas que os espancamentos eram sistemáticos e a mãe sabia, mas não fazia nada. Por isso, prendemos os dois – afirmou o delegado João Valentim.

O Instituto Médico Legal emitiu laudo atestando que a criança morreu em decorrência de um traumatismo craniano. Ela apresentava sinais de espancamentos recentes e antigas agressões.

Parentes contaram que os abusos ocorriam há meses. Em janeiro, por exemplo, Angelina teve as mãos e as costas queimadas pelo padrasto com água fervendo.

– Estamos reunindo ainda imagens de câmaras da região para anexar ao inquérito, mas temos provas suficientes, como laudo, depoimentos, inclusive de parentes, e fotos para prender os acusados – explicou Valentim.

Leia também1 Polícia apura caso de bebê levada a hospital com lesões no corpo
2 Câmara aprova Lei Henry Borel com ações protetivas a crianças
3 Bebê é achada morta em casa com 20 perfurações. Mãe alega surto
4 Criança de 4 anos morre após ser baleada em briga de vizinhos
5 Tragédia em bairro de luxo: Mãe mata filho de 6 anos e se suicida

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.