Leia também:
X “O tio me machuca”, disse Henry ao pai cinco dias antes da morte

Mãe de Henry tirou selfie em delegacia no dia do depoimento

Postura fria de Monique Medeiros chamou atenção de investigadores

Thamirys Andrade - 09/04/2021 11h28 | atualizado em 09/04/2021 12h48

selfie Monique Medeiros na delegacia - presa pela morte do próprio filho
Monique Medeiros tira foto na delegacia nove dias após a morte do filho, Henry Foto: Reprodução

A professora Monique Medeiros, mãe do menino Henry, tem chamado a atenção por sua frieza desde a morte do filho, de 4 anos. Além de descobrir que ela foi a um salão de beleza no dia seguinte ao enterro da criança, a polícia encontrou em seu celular uma selfie que ela tirou na delegacia no dia de seu depoimento.

Na imagem, Monique posa com os pés sobre a cadeira, esboçando um leve sorriso, em ar descontraído, ao lado de um homem. O episódio ocorreu nove dias após a morte de Henry. As autoridades encontraram a foto na galeria do aparelho telefônico da mãe de Henry, após extraírem informações que pudessem ser utilizadas nas investigações.

Já no salão de beleza onde ela foi um dia após o sepultamento, Monique fez as unhas das mãos e dos pés e escovou os cabelos, totalizando um gasto de R$ 240. O salão fica no shopping Metropolitano da Barra da Tijuca.

Além disso, segundo apuração da revista Época, desde o momento em que Monique foi presa, na manhã desta quinta-feira (8), até o trajeto para a delegacia, ela não chorou ou demonstrou traços de emoção.

Durante o curso das investigações, o frio comportamento de Monique chamou a atenção dos agentes. A própria juíza Elizabeth, do 2º Tribunal do Júri, responsável por determinar a prisão temporária de Monique e Dr. Jairinho, citou a frieza da mãe de Henry no pedido de detenção.

– Segue tomando atitudes atípicas, de quem omite ou falta com a verdade, colaborando e aderindo à conduta de seu parceiro de influenciar testemunhas, inobstante devesse ser a principal interessada em chegar à verdade dos fatos.

Monique e seu namorado, o vereador Dr. Jairinho, são os principais suspeitos da morte de Henry, de 4 anos, que faleceu na noite do dia 8 de março. Ela e o político se conheceram no fim de agosto de 2020, em almoço na Barra da Tijuca, e iniciaram um romance no mês seguinte. Os dois decidiram morar juntos em novembro, no condomínio Majestic, onde a polícia acredita que Henry sofreu sessões de agressões e tortura por parte do vereador, as quais Monique tinha conhecimento ao menos desde fevereiro deste ano.

Leia também1 "O tio me machuca", disse Henry ao pai cinco dias antes da morte
2 Jairinho é afastado do Conselho de Ética da Câmara do Rio
3 Tribunal de Contas do Município do Rio exonera mãe de Henry
4 Em texto emocionante, pai de Henry faz homenagem ao filho
5 Software israelense foi muito importante na investigação, diz delegado

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.