Leia também:
X Rio de Janeiro passa a ter RG com “gênero não binário”

Mãe de Henry Borel, Monique Medeiros deixa o presídio no Rio

Ela teve liberdade concedida pela Justiça nesta terça-feira

Henrique Gimenes - 05/04/2022 22h01 | atualizado em 06/04/2022 09h31

Monique Medeiros durante audiência em fevereiro Foto: TJRJ/Brunno Dantas

Ré pela morte do próprio filho, a pedagoga Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, deixou a prisão na noite desta terça-feira (5), após um ano atrás das grades. Ela estava no presídio Santo Expedito, em Bangu, e saiu do local por volta de 21h.

Ela teve liberdade concedida pela Justiça do Rio de Janeiro. Em sua decisão, a juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal, determinou que Monique seja monitorada por tornozeleira eletrônica.

O equipamento deverá ser instalado em até cinco dias.

Na avaliação da magistrada, a “manutenção da prisão em instituição estatal era o meio adequado de se prevenirem reações exacerbadas e incivilizadas contra a requerente, incompatíveis com o Estado de Direito”. De acordo com Louro, há denúncias de que Monique vinha sendo alvo de “ameaças e violação do sossego” no ambiente carcerário.

Na mesma decisão, a magistrada manteve a prisão do padrasto de Henry, o ex-vereador Jairo Santos, também conhecido como Dr. Jairinho. O ex-casal foi preso preventivamente em abril de 2021, acusado de atrapalhar as apurações do caso da morte de Henry Borel, de 4 anos. Os dois são acusados de matar a criança.

Leia também1 Leniel: "Monique é tão culpada pelos crimes quanto o Jairo"
2 Justiça concede liberdade para Monique, mãe de Henry Borel
3 Senado aprova Lei Henry Borel com ações protetivas a crianças
4 Rio de Janeiro passa a ter RG com "gênero não binário"
5 Deputado carrega arma e fala em "recepção calorosa" a Lula

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.