Leia também:
X Oxford supera CoronaVac, sendo a vacina mais usada em maio

Laura Orlandi: Justiça confirma guarda da criança para o pai

Caso teve enorme repercussão em abril deste ano após a mãe de Laura fazer acusações, nas redes sociais, contra o pai da menina

Paulo Moura - 25/05/2021 14h37 | atualizado em 25/05/2021 15h33

Justiça de SC confirmou que a guarda unilateral da menina Laura deve ser do pai Foto: Reprodução

Pouco mais de um mês após a polêmica envolvendo acusações de alienação parental e até de estupro, praticados contra a menina Laura Orlandi, de 3 anos, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) confirmou que a guarda da criança deve ser do pai, o advogado Cristiano Orlandi. A decisão, tomada no último dia 11, foi divulgada nesta terça-feira (25).

De acordo com a assessoria do advogado, a Quinta Câmara de Direito Civil do TJSC decidiu a favor de Orlandi por unanimidade, após receber parecer favorável do Ministério Público para manter a guarda provisória unilateral – que é quando um dos pais fica com os cuidados, e o outro tem contato com a criança em momentos esporádicos.

O processo judicial na Vara da Família, que vai definir a guarda definitiva da menina, prossegue na fase de produção de provas, de acordo com a assessoria de Orlandi.

Um Inquérito Policial da Delegacia de Proteção da Criança e Adolescente de São José (SC) também concluiu pela inexistência de abusos contra a menina, seja de maus-tratos ou de negligência por parte do pai ou na casa dele.

O pedido de alteração de guarda compartilhada para unilateral havia sido feita pelo pai, em agosto de 2019, após ele receber denúncias de que a criança vivia em ambiente inapropriado com a mãe.

Desde novembro de 2020, por decisão liminar do Tribunal de Justiça de Santa Catarina – TJSC, a mãe perdeu a guarda da filha, que passou a ser exclusiva do pai.

O FATO
O caso da menina Laura Orlandi, de 3 anos, mobilizou a internet no final de abril em torno de denúncias, feitas pela mãe da criança, Tatiana Mari da Silva, de que a menina estaria sofrendo maus-tratos e até abuso sexual enquanto estava na casa do pai, o advogado Cristiano Orlandi.

A página criada pela mãe no Instagram para divulgar informações sobre o fato, intitulada de Justiça por Laura Orlandi, tomou enormes proporções e chegou a ultrapassar a marca de 700 mil seguidores. No perfil, Tatiana chegou a compartilhar vídeos em que a menina chorava ao ser deixada com a família do pai, mas o conteúdo posteriormente foi excluído da rede social.

Leia também1 "Pediatra informou que Laura estava se masturbando", diz pai
2 Vizinhos denunciaram mãe de Laura Orlandi por maus-tratos
3 Mãe diz que filha de 3 anos sofre abuso ao ser deixada com o pai

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.