Leia também:
X Cozinheira morre no 1º dia de trabalho após panela explodir

Justiça suspende concursos da USP que não têm cotas raciais

Certames aconteceriam entre os meses de abril e maio deste ano

Paulo Moura - 10/03/2023 15h07 | atualizado em 10/03/2023 16h08

Campus da USP Foto: Felipe Seriacopi/USP Imagens

Uma decisão da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo suspendeu as inscrições de concursos da Universidade de São Paulo (USP) para os cargos de procurador, analista administrativo e médico veterinário por ausência da previsão de cotas raciais. A medida atendeu a um pedido da Defensoria Pública paulista.

Para a juíza Luiza Barros Rozas Verotti, que atendeu ao pedido, “a reserva de vagas e pontuação diferenciada aos candidatos pretos e pardos em concursos públicos foi estabelecida no âmbito federal pela Lei 12.990/14, cuja constitucionalidade foi reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal”.

– A interpretação teleológica [da lei] se funda na necessidade de superar o racismo estrutural e institucional ainda existente na sociedade brasileira e garantir a igualdade material entre os cidadãos, por meio da distribuição mais equitativa de bens sociais e da promoção do reconhecimento da população afrodescendente – ressaltou a juíza.

A ação foi apresentada pelos defensores Danilo Martins Ortega e Vanessa Alves Vieira, que coordenam o Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial da Defensoria Pública de São Paulo. Os concursos suspensos aconteceriam entre os meses de abril e maio deste ano.

Leia também1 Lula diz que lado bom de Haddad é o "sangue árabe" do ministro
2 Motorista de aplicativo é preso por estupro de jovem de 15 anos
3 Lula diz que Haddad é 'criativo' e que governo vai fazer PIB crescer
4 Choque entre trem e ônibus da Apae deixa 2 meninas mortas
5 Aras muda de posição e agora defende alterar Lei das Estatais

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.