Leia também:
X Homem fingia ser mãe buscando babá e estuprava candidatas

Justiça de SP libera atos contra Bolsonaro no 7 de setembro

Juiz afirmou que o governo paulista deverá garantir a segurança dos manifestantes

Henrique Gimenes - 30/08/2021 17h00 | atualizado em 01/09/2021 14h06

São Paulo, Avenida Paulista
São Paulo, Avenida Paulista Foto: Rogério Cassimiro | MTUR

Nesta segunda-feira (30), a Justiça de São Paulo concedeu uma liminar liberando grupos de oposição ao presidente Jair Bolsonaro de realizarem protestos no vale do Anhangabaú, no dia 7 de setembro. A decisão contraria o governador do estado, João Doria, que havia proibido a manifestação.

No mesmo dia, apoiadores de Bolsonaro irão realizar protestos na avenida Paulista.

Os atos a favor do presidente foram liberados pela gestão Doria por terem sido requisitados primeiro. O governador, no entanto, decidiu proibir as manifestações contrárias por questões de segurança. Diante da medida, a Campanha Nacional Fora Bolsonaro decidiu acionar a Justiça na sexta-feira (27) para realizar o protesto.

Em sua decisão, o juiz Randolfo Ferraz de Campos, da 14ª Vara de Fazenda Pública, liberou os atos e disse que “ninguém tem poder para vetar reuniões”. Além disso, ressaltou que o governo de SP deverá garantir a segurança dos manifestantes.

O magistrado também ressaltou que “todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente”.

Leia também1 João Doria anuncia abertura de escritório de SP em Nova Iorque
2 Preço dos combustíveis ocorre por 'ganância de governadores'
3 'Cenas de terror' em Araçatuba não ficarão impunes, diz Doria
4 PMs da ativa em SP estão na 'mira' da corregedoria no dia 7
5 Jefferson diz que não vai aceitar usar tornozeleira: “Desonra”

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.