Leia também:
X Frias diz que não se vacinou contra a Covid e revela o motivo

Família diz que corpo entrou em decomposição dentro de hospital

Família denuncia hospital por negligência

Gabriela Doria - 08/11/2021 19h44 | atualizado em 09/11/2021 13h16

João Henrique foi vítima de negligência do hospital, acusa família Foto: Arquivo pessoal

A família de um jovem de 28 anos, que morreu na última quinta-feira (4) vítima de um mal súbito, enquanto jogava vôlei, denunciou o Hospital Regional de Sobradinho (DF) por negligência. Segundo parentes de João Henrique dos Santos Silva, eles não conseguem sepultar o rapaz por causa da demora na liberação do corpo.

Entre as queixas, os parentes citam que o corpo do jovem foi deixado fora da câmara fria e já estaria entrando em decomposição – o que impede que o caixão permaneça aberto durante o velório.

Segundo a irmã da vítima, a administradora Priscila dos Santos Silva, de 34 anos, ela ligou diariamente para o hospital, para agilizar a remoção do corpo de João. No entanto, foi informada de que isto só seria possível após um teste de Covid-19 – o qual só saiu na noite do sábado (6).

– No domingo pela manhã, o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) nos ligou e disse que não poderia fazer a remoção, pois o corpo já estava em avançado estado de decomposição. O corpo não foi refrigerado nem embalado; ainda estava com os eletrodos que recebeu no atendimento. Ficou jogado em uma maca – denunciou Priscila ao portal Metrópoles.

Após um novo exame de Covid-19, o SVO pediu autorização para que o corpo fosse encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), de onde só foi liberado na tarde desta segunda-feira (8).

– Tinha até larva e mosquito no corpo do meu irmão. Ficou lá, largado [no hospital]. Ninguém tem que passar por isso. A gente não vai conseguir dar um enterro digno – lamenta.

A família de João pretende entrar com uma ação na Justiça por negligência.

– A gente quer justiça para que não aconteça com outras pessoas. Várias chefias de equipe passaram por ele, e nenhum plantonista fez nada. Todos foram negligentes – desabafou a mulher.

A Polícia Civil do Distrito Federal instaurou um inquérito e irá apurar o caso.

Leia também1 Empresário morre afogado ao tentar salvar cão de estimação
2 RN: 2 homens são carbonizados em queda de avião ultraleve
3 Bebê brasileiro nasce com cauda de 12 cm e bola de 4 cm na ponta
4 Piloto de helicóptero da Globo se ajoelha e ora após pouso forçado
5 Copiloto de avião com Marília era evangélico e pregava

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.