Leia também:
X RJ: Comitê recomenda Carnaval sem restrições no cenário atual

Joinville barra linguagem neutra na cidade e define “punição”

Projeto de lei foi sancionado pelo prefeito Adriano Silva proíbe o uso dessa linguagem pelo poder público

Henrique Gimenes - 21/12/2021 16h48 | atualizado em 21/12/2021 17h15

Linguagem neutra Foto: Pixabay // Arte: Pleno.News

Nesta segunda-feira (21), o prefeito de Joinville (SC), Adriano Silva, sancionou um projeto de lei que proíbe o uso da chamada linguagem neutra pelo poder público do município. Com a medida, integrantes da administração pública e do Poder Legislativo da cidade, assim como autarquias e outras organizações, ficam impedidas de utilizar esse tipo de linguagem.

Caso a medida seja descumprida, será aberto um Processo Administrativo Disciplinar por parte das autoridades.

A medida também vale para escolas e ambientes de ensino.

A utilização de expressões vocais sem gênero, como “menine”, em vez de “menino” ou “menina”, é uma pauta defendida pela comunidade LGBTQIA+, mas que sofre resistência por parte de conservadores. O tema é discutido no Congresso Nacional desde o ano de 2020.

A lei foi proposta pelo vereador Wilian Tonezi (Podemos), que apontou que “a inclusão de linguagem neutra seria uma afronta à língua portuguesa, traria confusão ao processo de aprendizagem das crianças, geraria inexatidão nos textos oficiais, além de ser uma imposição semântica que privilegia uma ideologia minoritária, não natural à sociedade como um todo”.

O texto foi aprovado com 18 votos na Câmara municipal. Apenas a vereadora Ana Lúcia Martins (PT) votou contra o projeto.

Leia também1 SP: Câmara aprova PL que proíbe ensino da linguagem neutra
2 Xuxa junta-se a cantora trans em premiação: "Bem-vindes"
3 Nunes quer julgar linguagem neutra no plenário físico do STF
4 Jovem usa linguagem neutra em música e vira piada na web
5 Pfizer afirma que três doses de sua vacina neutralizam Ômicron

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.