Leia também:
X Miriam Leitão defende expulsão de Bolsonaro das redes sociais

Irmão de Djokovic: “Eles querem capturá-lo e prendê-lo de novo”

Apesar da vitória na Justiça, o atleta pode ser deportado da Austrália

Pleno.News - 10/01/2022 09h42 | atualizado em 10/01/2022 09h57

Novak Djokovic Foto: EFE/EPA/Andrej Cukic

O irmão de Novak Djokovic confirmou nesta segunda-feira (10) que o número 1 do mundo pode ser deportado pelo governo da Austrália, apesar da vitória na Justiça. O juiz federal Anthony Kelly considerou a decisão de barrar o tenista “irracional” e o liberou para entrar no país e disputar o Aberto da Austrália.

– Eles querem capturá-lo e prendê-lo outra vez. Novak está no meio de um furacão político. As pessoas na Austrália estão infelizes porque estiveram trancadas desde o início da pandemia. É claramente política. O que podemos fazer é divulgar nas redes sociais. Ele [Djokovic] está com os advogados para ver quais são suas opções neste momento – disse Djordje, em entrevista à TV Prva, da Sérvia.

Djordje afirmou ainda que o ministro de Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais, Alex Hawke, pode usar seus poderes especiais para deportar Djokovic. O tenista pediu uma autorização especial para entrar no país por não ter se vacinado contra a Covid-19.

– Foi uma noite sem sono para todos nós. Foram momentos muito difíceis. Novak mostrou que é persistente e acredita nos seus ideais. Ele venceu esta batalha para todo o mundo. O juiz tomou a decisão certa, se baseando nos fatos, mas recebemos uma informação de que o ministro está acima da Justiça – disse Djordje.

O jornal Telegraf garante que o pai de Djokovic, Srdjan, afirmou que o governo australiano decidiu deportar Djokovic.

O presidente do parlamento da Sérvia, Ivica Dacic, também se manifestou.

– O processo deveria ter terminado quando o tribunal decidiu sobre o assunto. As autoridades australianas obviamente escolheram deportá-lo, o que também inclui uma proibição de três anos de entrada na Austrália. Isso desafia o bom senso – afirmou em entrevista à Happy TV.

DECISÃO
A apelação de Novak Djokovic à Justiça australiana após ter sido barrado na sua chegada a Melbourne deu certo. Em audiência realizada nesta segunda-feira, o sérvio ganhou, por meio de decisão do juiz federal Anthony Kelly, o direito de entrar no país e disputar o Aberto da Austrália. Ele considerou a decisão de barrar o tenista “irracional”.

O juiz ordenou que Djokovic fosse libertado e que seu passaporte e outros documentos pessoais fossem devolvidos a ele, reacendendo a oferta do número 1 do mundo para ganhar o 21º título de Grand Slam, recorde no próximo Aberto da Austrália.

Djokovic estava retido na Austrália desde a manhã de quinta-feira. Ele havia chegado ao país na noite da véspera da disputa, mas acabou barrado no aeroporto ao apresentar um atestado de isenção de vacina que não foi reconhecido como válido pelas autoridades.

*AE

Leia também1 Juiz libera entrada de Djokovic e anula cancelamento de visto
2 'Djokovic será um símbolo do mundo livre', diz pai do tenista
3 Cidades retomam quarentena e toque de recolher no Brasil
4 Idoso é preso após tomar 11 doses de vacina contra Covid
5 OMS diz que Ômicron é mortal e não deve ser considerada branda

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.