Leia também:
X EUA elogiam ‘tom positivo’ de discurso de Bolsonaro na Cúpula

Homem é preso suspeito de estuprar e matar idosa

Caso aconteceu no interior de Goiás

Ana Luiza Menezes - 22/04/2021 16h35 | atualizado em 22/04/2021 17h17

Suspeito de estuprar e matar idosa Foto: Reprodução/Polícia Civil

Agentes das polícias Civil e Militar prenderam um homem de 53 anos suspeito de matar e estuprar uma idosa de 76 anos. A vítima foi encontrada morta, com sinais de estupro, nesta quarta-feira (21), em Anápolis (GO).

De acordo com as investigações, a idosa teria dado abrigo e uma refeição ao autor dos crimes. As informações são do portal G1.

O suspeito foi identificado como Aldeni Dias. Aos policiais, ele negou o crime e disse que teve relações sexuais com consentimento da vítima. O homem alegou ainda que a idosa estava viva quando ele deixou a casa.

Idosa foi encontrada morta com sinais de estupro Foto: Reprodução/Polícia Civil

A vítima era Maria de Nazaré Noronha das Chagas. Segundo a Polícia Civil, um filho dela encontrou o corpo da mãe e acionou a Polícia Militar.

A investigação apontou que Aldeni foi à casa da idosa para pedir comida. Ele teria sido acolhido e recebeu uma refeição antes de abusar sexualmente da mulher e matá-la.

O suspeito foi localizado três horas após o início das investigações. Quando foi encontrado, ele estava com uma toalha, uma roupa e alimentos que teriam sido roubados da vítima.

O corpo da idosa passou por uma perícia, feita pelo Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis, e já foi liberado para a família.

Leia também1 Homem é preso por estuprar e engravidar menina de 12 anos
2 Mulher é estuprada por casal na frente dos filhos; ato foi filmado
3 Suspeito de estuprar enteada de 2 anos é espancado por vizinhos
4 Homem é preso suspeito de estuprar enteada e 3 filhas dela
5 PF prende suspeito de guardar arquivos de pornografia infantil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.