Leia também:
X Bolsonaro sobre voto auditável: ‘Se botar em votação, não passa’

Homem é preso por estuprar e enterrar mulher ainda viva

Crime aconteceu em setembro do ano passado

Gabriela Doria - 23/07/2021 15h08 | atualizado em 23/07/2021 15h20

Laura Batista de Souza foi enterrada ainda viva após ser estuprada Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Mato Grosso prendeu um homem suspeito de estuprar e enterrar uma mulher de 28 anos, em setembro do ano passado, no município de Santa Cruz do Xingu. Laura Batista de Souza, de 28 anos, foi enterrada ainda viva.

Agentes afirmaram que o suspeito foi preso em uma fazenda na cidade de Juara, que fica a uma distância de 860 quilômetros de onde ocorreu o crime. Ele foi indiciado por homicídio qualificado, estupro e ocultação de cadáver.

Laura foi dada como desaparecida no dia 2 de setembro, quando seu patrão acionou a polícia afirmando que sua funcionária havia deixado o trabalho acompanhada de um homem desconhecido. Desde então, ela não tinha dado mais sinal de vida.

No dia 11 de setembro, a polícia recebeu uma denúncia anônima de que havia indícios de uma cova aberta onde deveria haver uma cisterna, dentro da chácara onde o acusado morava. Após a escavação, agentes encontraram o corpo de Laura, que tinha lesões causadas por arma branca.

Uma perícia mostrou que a vítima havia sido estuprada antes de ser golpeada no estômago com uma faca. Ela ainda estava viva quando o criminoso decidiu enterrá-la.

A polícia conclui que Laura e o agressor não se conheciam previamente e que o primeiro contato ocorreu no dia da morte.

Leia também1 Ceará: Idosa de 99 anos morre após ser estuprada em casa
2 Sobrinha mata tio a facadas após tentativa de estupro
3 Menina de 7 anos denuncia avô por abuso após ver reportagem
4 Mulher morre atacada por seis pitbulls ao visitar namorado
5 "Gatinha da Cracolândia” é presa em SP por tráfico de drogas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.