CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Salles: “O cargo não é meu, é do presidente da República”

Homem é morto por vizinhos após Cidade Alerta o apontar como assassino

Programa divulgou imagem do suspeito com borrão, mas ele foi reconhecido

Gabriela Doria - 15/07/2020 15h50 | atualizado em 15/07/2020 18h06

Alecio Ferreiras Dias era suspeito da morte de Priscila Martins Foto: Reprodução

Um homem apontado pelo Cidade Alerta, da Record TV, como o principal suspeito de matar uma jovem de 18 anos foi assassinado por vizinhos que o reconheceram pela foto divulgada no programa. Uma denúncia anônima feita à Polícia Militar informou que um grupo de vizinhos foi à casa de Alecio Ferreira Dias, de 41 anos, e o levou à força para um matagal no bairro de Jardim Santa Cruz, na cidade de Salto, em São Paulo. Alecio foi executado com pelo menos 7 tiros.

O homem tinha perfurações no rosto, no tórax e na perna. Ele não chegou a ser ouvido pela polícia.

O filho da vítima registrou boletim de ocorrência e, segundo ele, após a exibição da reportagem no telejornal, “alguns moradores daquela comunidade, bem como outros desconhecidos, estiveram em sua casa e chamaram seu pai para conversar”. Em seguida, Alecio foi levado para um “local desconhecido”, onde morreu.

Ainda de acordo com ele, os próprios assassinos divulgaram fotos de Alecio morto.

A vítima do justiçamento havia aparecido no Cidade Alerta horas antes de ser morto. Apesar da imagem do homem aparecer com um borrão no rosto, pessoas conhecidas o reconheceram. Na ocasião, o apresentador Luiz Bacci informou que a polícia já tinha um suspeito pela morta da jovem Priscila Martins, mas que ele ainda não havia sido preso.

– Ainda não temos autorização para mostrar [as fotos] sem esse borrão. Mas quem conhece esse homem já passa informações para a polícia. Quem é amigo desse homem, sabe quem é. Por favor, não façam justiça com as próprias mãos. Até porque ele é investigado. Sabe alguma coisa dele? Sabe onde mora? Não tome você alguma medida já procurando ele direto. Não se arrisque. Conte para a polícia de São Paulo – pediu Bacci.

Questionada pelo jornalista Maurício Stycer, do Uol, sobre o risco de exibir a imagem de Alecio no Cidade Alerta mesmo com a possibilidade de ele ser reconhecido, a Record justificou dizendo que “entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era”.

LEIA A NOTA DA EMISSORA NA ÍNTEGRA

O ‘Cidade Alerta’ tinha as informações sobre o nome e a foto do suspeito. Entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era. Inclusive a investigação aponta que a pessoa era conhecida de Priscila Martins, que foi encontrada morta depois de ser torturada e o corpo queimado. O mesmo suspeito é apontado como envolvido em outros crimes. Diante da revolta que a informação causou na região, o ‘Cidade Alerta’ decidiu não identificar o suspeito e fez um apelo para quem soubesse o paradeiro do investigado que informasse a polícia e que ninguém tentasse fazer justiça com as próprias mãos.

CASO PRISCILA MARTINS
Alecio Ferreira Dias era suspeito da morte de Priscila Martins, de 18 anos. Ela saiu de casa no dia 6 de julho, sem telefone, e desapareceu. O corpo dela foi encontrado dois dias depois, carbonizado, em uma fazenda em Salto. Ao lado das cinzas havia pertences e roupas parecidas com as que ela vestia no dia do desaparecimento.

A mãe da jovem ainda aguarda uma exame de DNA para confirmar que se trata de Priscila.

Este é o segundo corpo encontrado no local e a polícia ainda está investigando as mortes.

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo