Leia também:
X Bolsonaro assiste ao jogo do Flamengo, no Mané Garrincha

Homem “desaparecido” dentro da própria casa é achado morto

Trabalho de busca foi dificultado por causa da quantidade de entulho acumulado na casa do catador de recicláveis Paulo Sérgio Garcia

Paulo Moura - 21/07/2022 09h21 | atualizado em 21/07/2022 11h35

Acessos da casa eram bloqueados por entulho Foto: Reprodução/EPTV

O homem que estava desaparecido desde a última segunda-feira (18) dentro da própria casa, em meio ao entulho acumulado por cerca de 30 anos no local, foi encontrado morto por agentes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil na tarde desta quarta (20). O fato aconteceu na cidade de Piracicaba, em São Paulo.

O corpo do catador de recicláveis Paulo Sérgio Garcia, de 52 anos, foi achado por volta das 13h. As equipes iniciaram a remoção do entulho acumulado no imóvel por volta das 8h desta quarta, mas o trabalho foi dificultado por causa da quantidade de resíduos que bloqueava os acessos à casa.

Imagens do local mostravam entulhos até o teto do imóvel, dificultando a passagem dos agentes. Um balanço da Defesa Civil de Piracicaba apontou que três caminhões cheios de materiais que foram retirados do imóvel deixaram o local até a tarde desta quarta. O órgão acredita que sejam necessários três dias para completar a limpeza.

– Segundo informações de populares e de familiares, ali residia um morador que acumulava recicláveis e outros objetos. Começamos a abrir as portas da casa, que estava cheia de materiais inservíveis até o teto. Localizamos um corpo no fundo do imóvel. Aguardamos a chegada da perícia para dizer o que aconteceu – disse o diretor da Defesa Civil de Piracicaba, Odair Mello.

A polícia esteve no local durante a tarde para isolar a área e uma equipe da perícia também esteve no imóvel. A irmã de Paulo Sérgio disse que mora em Rio Claro (SP) e que não vinha visitá-lo devido ao material acumulado. A mãe dos dois, que morreu há 10 anos, morava no mesmo local.

– A minha mãe ia para minha casa uma vez por ano, ficava lá comigo, mas para cá mesmo eu não vinha, porque ela mesma falava para eu não vir porque não tinha como entrar – afirmou a irmã do homem.

De acordo com os vizinhos, enquanto ainda morava com a mãe, e por um tempo depois disso, Paulo vendia os objetos acumulados e fazia disso sua renda. No entanto, segundo os moradores, atualmente não era mais comum vê-lo realizando as vendas.

Leia também1 Freira interrompe beijo lésbico entre atrizes e grita: "É o diabo"
2 Bolsonaro sobre novo presidente da Colômbia: "Não tem Deus"
3 Bolsonaro assiste ao jogo do Flamengo, no Mané Garrincha
4 Ciro: Lula e Bolsonaro "disputam quem é o mais corrupto"
5 Gilmar diz que quis acreditar em fraude por eleição de Bia Kicis

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.