Leia também:
X ‘Senadores deveriam indenizar o Brasil por recursos gastos na CPI’

Projeto oferece bolsa de R$ 600 para mulheres trans e travestis

Valor de R$ 600 será pago por três meses, mesmo período de duração do curso

Pleno.News - 07/10/2021 21h14 | atualizado em 08/10/2021 10h42

Governo do Rio dará bolsa para trans e curso de capacitação Foto: USP Imagens/Marcos Santos

O governo do Rio de Janeiro, em parceria com o Grupo Arco-Íris, vai lançar um programa de capacitação de mulheres trans e travestis, para que elas possam abrir seu próprio empreendimento. Serão 30 vagas no total, além de bolsa-auxílio no valor de R$ 600 por um período de três meses.

A iniciativa é da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Mulher (SPM-Rio) e tem como alvo trans que possuem seu próprio empreendimento ou que tenham alguma ideia de negócio e desejem avançar na ideia.

As inscrições podem ser feitas até o 17 de outubro por meio da internet ou presencialmente. Além da bolsa, serão oferecidos acompanhamento psicossocial durante as aulas e mentoria para os negócios de cada um dos alunos. Entre as aulas que serão ministradas estão educação financeira, identidade visual e uso das redes sociais.

As inscrições podem ser feitas presencialmente nos dias úteis, das 09h às 16h, nos seguintes locais:

Casa da Mulher Carioca Tia Doca (Rua Julio Fragoso, 47 – Madureira)
Casa da Mulher Carioca Dinah Coutinho (Rua Limites, 1.349 – Realengo)
Grupo Arco-íris (Rua da Carioca, 45 – Centro)
CPA IV LGBTI (Rua Tenente Possolo, 49 – Centro)

Leia também1 'Senadores deveriam indenizar o Brasil por recursos gastos na CPI'
2 'Lógico que ampliamos nossa rede com o Telegram. Não tem censura'
3 Sem fonte de custeio, Bolsonaro veta distribuição de absorvente
4 Fiuza critica Folha e lembra de fonte que desmentiu repórter
5 STF: Moraes dá 30 dias para a PF tomar depoimento de Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.