Leia também:
X MEC quer punir professores por militância em sala de aula

Governo de MG determina toque de recolher em parte do estado

Também foi anunciado o fechamento de lojas, entre outras medidas

Ana Luiza Menezes - 03/03/2021 18h23 | atualizado em 03/03/2021 18h38

Governador de Minas Gerais, Romeu Zema Foto: Imprensa MG/Gil Leonardi

Nesta quarta-feira (3), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, determinou o fechamento do comércio não essencial, bem como toque de recolher das 20h às 5h e restrição de circulação de pessoas em duas regiões do estado. As medidas começam a valer de imediato.

Essa foi a primeira vez que o governo estadual intervém sobre as prefeituras. A decisão de Zema valerá por 15 dias.

As regiões Noroeste e Triângulo Norte passam a fazer parte da “onda roxa”. Regiões da chamada “onda vermelha” serão monitoradas todos os dias e poderão migrar para a “onda roxa”, em caso de piora nos índices de infectados e internados em função da Covid-19. As informações são do portal G1.

De acordo com Zema, forças de segurança serão acionadas para fiscalizar o cumprimento das medidas. Quem não obedecer as orientações poderá ser punido, embora o governador não tenha esclarecido como isso será feito.

Cidades da “onda roxa” terão que seguir as regras estabelecidas pelo estado.

– Onda roxa é uma onda diferente das demais. Não é mais opcional aos prefeitos decidirem se eles vão aderir ou não. A adesão é impositiva para evitar o total colapso da rede de saúde – declarou o governador.

Ele comentou ainda a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), que permite que prefeituras tenham poder de decisão para adotarem medidas contra o novo coronavírus. Zema disse que a onda roxa diz respeito ao âmbito regional e, por isso, é possível a imposição das proibições.

– Realmente há essa prerrogativa de os prefeitos fazerem o que é mais adequado. Mas o mérito aqui é sobre o sistema regional de saúde – falou.

Entre as medidas impostas para os municípios que integram a “onda roxa” estão o fechamento do comércio não essencial; suspensão de cirurgias eletivas; apoio das forças de segurança; restrição de circulação de pessoas (só poderão sair de casa para atividades essenciais); toque de recolher das 20h às 5h; proibição de pessoas sem máscara em qualquer espaço; proibição de circulação de pessoas com sintomas de gripe; roibição de reuniões presenciais, inclusive entre parentes que não morem na mesma casa; implantação de barreiras sanitárias de vigilância; fechamento de bares e restaurantes (funcionamento apenas por delivery).

Leia também1 SP: Associação de Restaurantes e Bares critica novo lockdown
2 Doria chama Bolsonaro de 'pária' e o culpa por mortes de Covid-19
3 Testes de Covid: MP faz operação contra superfaturamento no DF
4 Saúde decide comprar doses das vacinas da Pfizer e da Janssen
5 Coronavírus: Produto criado por brasileiros protege embalagens

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.